Poema de agora: Saudade fuleira – @ManoelFabricio1

Saudade fuleira

Toda vez que vê passa e sorri sem graça
E diz no cumprimentar, bem no pé do ouvido; saudade.
ouço e não esboço reação
fico pensando, mas… que saudade mais fuleira
que não tem eira nem beira
Que não manda recado
que não liga
que não faz nada
só fala
não faz nem sinal de fumaça
Não escreve um recado
não manda um bilhete
é só um tirinete

Manoel Fabrício


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *