Poema de agora: Sempre a Poesia (Ana Anspach e Patrícia Andrade)

Sempre a Poesia

as notícias sobre o vírus
chegam de todos os lados
o número de óbitos
supera os de cura
meu peito dói
pela dor do mundo

então descanso
olhos e ouvidos
ouço Lenine
leio Cecília
e releio Cora

meu coração pulsa
a poesia que há
bem no fundo de mim
no fim de tudo.

Ana Anspach & Patrícia Andrade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *