Poema de hoje

 
O Acaso do Destino

O anoitecer nos mostra vários caminhos
Além da reverência que a lua faz a cada um
A noite se deleita aos nossos apreços,
Nossas vontades e acasos
Dissolvendo do ser o que todos tendem a querer
Ofuscando o semblante
Um sonolento instante…
Onde sobre tudo se passam as nuvens e sobre elas o céu vagueia
E aos poucos ultrapassam com fascínio o universo
Que mesmo forjando um nostálgico acontecimento
Ilusão ou frações distorcidas
Ainda assim tiro do mal o bem que é tão natural
Distribuindo momentos letais de lembranças
Agregando sobre si acontecimentos
Um momento que aos poucos se passa
Se novamente tiver que acontecer
Que tão certo novamente aconteça
E daí!
O importante não é pensar no que não se passou
Mas sim! Do que realmente aconteceu
Inocentemente ou inconstantemente
Faz-se a certeza de um novo momento
De um novo agora…
Quem sabe apenas ouvir da voz seja o suficiente
Ou quem sabe teu jeito grave no inconsciente
Sendo assim ou não
Perdido ou somente na ilusão..
Será..
By Weverton O. Reis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *