Poema de hoje

Estilhaçado coração
Ela nega seu bel-prazer.
Confissões… Confusões…
E ela renega meu bem querer.
Até quando me sufocar?
Até aonde tentar?
Quando conseguir?
Quando desistir?
Respostas sem razão.
Estilhaçado coração.
E se ela recompõe o meu todo?
E se ela me despreza essa emoção?
Tenho de cor a solução.
O poeta já disse:
Tudo vale a pena
Quando a alma não é pequena.
E por que não me entregar à paixão
Já que é dela o errado e a razão?
Porque o futuro a Deus pertence
E outro poeta já diz:
Tem nada não,
Eu vi rosa e não vi raiz,
Quem vê cara não vê coração
A dois palmos do nariz…
Darth J. Vader
Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*