Poema de hoje – A mulher efêmera

A mulher efêmera
Ao ver, tudo impropicia a vida
Todos relutam mesmo com o ego abalado
O orgulho, a impaciência, tudo!
Exatamente tudo é subjugado
As aparências mudam a todo tempo
Assim como os sentimentos do ser humano
Assim como todo limitado pensamento e idéias formadas em alguns
Por mas que assim não fosse a vida, o que seria das mulheres sem suas fases
Sem suas limitações delicadas e impensadas palavras
O que seria a perfeição física de algumas perto da imperfeição delas mesmas
Costumo dizer que a decisão de uma mulher é nobre
E quando bem tomada enobrece qualquer coração
Ainda que seja por fase ou não, as mulheres sempre serão um inteiro divido
Que junta os pedaços de um homem e coloca sentido no quebra cabeça embaraçado.
Weverton Reis
Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*