Poema de hoje: Remorso (Ivan Daniel Amanajás)


Remorso 

Abro os olhos
Estou imóvel
Levanto e me vejo
Ainda imóvel
Não sinto o tocar
É quase um flutuar
Tudo está sutil
Nada me é grosseiro
Ninguém percebe
Estou ali
Imóvel
E aqui
Inquieto
Tento entender
Aquela luz a me dizer
E mesmo sem querer
Vou ao seu encontro
E de encontro
Encontro resposta
O coração desgosta
Só fiz o que gosto
Esqueci que não posso
No peito agora inflama
Remorso.

Ivan Daniel Amanajás

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *