Poema de hoje: Romance (Régis Sanches)


Romance

Numa tarde solitária,
O Cristo Redentor
Apaixonou-se pela
Estátua da Liberdade
À noite, voaram,
Sem destino.
Em Paris, escalaram
A Torre Eiffel
Do cume,
Avistaram o Hymalaia
Então, partiram
Para o Xingú.
Na floresta,
A Liberdade contraiu
Malária
Quando contava
Sete cruzes
O Cristo paramentou-se
De Xamã,
Sorveu uma cuia
De tacacá,
E fez chover
Diamantes.
O sol raiava,
E retornaram:
O Redentor, ao Corcovado;
A Liberdade, à Ilha de Manhatan.
Assim, permaneceram
Matando o tempo,
Como estátuas,
Para sempre.


(Régis Sanches)
Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*