Poesia de agora: as cidades, as chuvas – @stkls (Vídeo e voz de Áquila Almeida) @manudosertao

as cidades, as chuvas

{para manu do ser tão}

choveu nas tuas duas cidades de uma ponta a outra
queria ter estado com todas as coisas que molharam
com cada cinematografia
astro meteorológica
uma pena foi não saber
que a previsão era de chuva
nas cidades que você fotografa
já é hora de decretar o fim do verão das flores secas
da rachadura das terras dos rios
e um monte de coisas empoeiradas
de quantos em quantos séculos
chove nas tuas duas cidades
a primeira vez foi na aparição de dalila
a segunda vez foi na existência dos anjos
a terceira vez você estava na cidade sertão enquanto o rio-mar se molhava
pensei em escrever uma carta
e te contar como a cidade dançou na chuva como no vidro do carro
a chuva desenhou uma alcateia
e de repente já era uma cantoria de grilos
a gente nunca sabe qual desenho
a chuva pinga no vidro
choveu nas tuas duas cidades
e um passarinho se molhou
quando atravessou o céu

Pedro Stkls – Vídeo e voz de Áquila Almeida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *