Poesia de agora: POEMA EM ESTADO BRUTO – Pat Andrade

POEMA EM ESTADO BRUTO

caminho entre
escombros e flores
me surpreendo
entre assombros e dores
e não abaixo a cabeça
pra não perder
de vista o horizonte

tiro forças
de um poema rabiscado
de um verso maldito
de uma rima esquisita

trago a pena
inquieta e inconstante
e uma página
que não se contenta
em ficar em branco

o que me salva e me sustenta
é sempre um poema
em estado bruto

Pat Andrade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *