Prefeito Clécio Luís e sindicatos de bares e restaurantes reforçam medidas de protocolo de segurança em estabelecimentos de Macapá

Com o intuito de reforçar o novo protocolo de segurança em bares, restaurantes e afins, o prefeito de Macapá, Clécio Luís, participou na tarde desta quinta-feira, 23, de uma Live realizada em conjunto com a Prefeitura de Macapá, Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no Amapá (Abrasel) e Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Amapá (Sindbar). Desde o último dia 16, por meio de Decreto Municipal n° 2.602/2020, todos os restaurantes e bares foram autorizados a atender na modalidade presencial em Macapá.

Segundo o prefeito de Macapá, o protocolo em questão, que foi produzido e pensando também pela Abrasel e Sindbar, se cumprido, proporciona a segurança para que todos que utilizarão aquele ambiente precisam. “Estamos avançando e, prova disso, são nossos bons indicadores que apontam isso. Não queremos retroceder, temos que ter cautela para que não seja jogado fora tudo que conseguimos até agora. Por isso é tão importante o debate e seguir o protocolo de segurança em bares e restaurantes de Macapá”, salientou.

Olavo Almeida, diretor do Sindbar, destacou que é fundamental que os clientes observem os bares e restaurantes que estão trabalhando dentro da conformidade das medidas estabelecidas. “Precisamos implantar a cultura da máscara e de demais medidas para combater a Covid-19, para não termos um retrocesso. Por isso, é sempre importante debater de forma educativa estas medidas para a segurança de quem consome e de quem produz. O cliente deve estar atento aos locais que estão seguindo o protocolo para valorizar os que trabalham com a legalidade”, explicou.

O especialista em Mercado de Alimentos e Bebidas, Sandro Bello, ensejou que o mercado de alimentos em Macapá deu grande passo em se reinventar com a modalidade delivery, e é preciso a ajuda da população para que a próxima etapa permaneça funcionando. “Demos passos importantes para chegar neste momento que estamos vivendo: o de poder, de forma presencial, consumir os alimentos no local. Mas, para isso, o consumidor deve seguir as medidas e cobrar do dono do estabelecimento o cumprimento de todo o protocolo”.

Segundo Yukio Nagano, presidente da Abrasel, a ajuda de empresários e colaboração da população é necessária para avançar e combater o momento vivido. “Com este protocolo, queremos ajudar os restaurantes e empresários a manter os próprios negócios, mas também queremos resguardar vidas. Então, pedimos aos empresários que cuidem dos clientes que frequentam aquele estabelecimento. Essa é uma luta conjunta para que possamos superar este momento difícil e, pouco a pouco, conseguir alavancar e ir em frente para que consigamos ultrapassar este momento”, explanou.

“Se todos cumprirem estas etapas, conseguiremos avançar outras etapas mais à frente. Devemos lembrar que também dependemos dos indicadores epidemiológicos, pois a pandemia ainda não acabou. Com a ajuda dos donos de bares, funcionários e conscientização da população, conseguiremos ir em frente nesta luta, que é a guerra contra o vírus”, finalizou o prefeito Clécio Luís.

Protocolo de segurança em bares e restaurantes de Macapá

Segundo o Decreto Municipal n° 2.602/2020, todos os restaurantes, bares, lanchonetes e estabelecimentos do setor de alimentação de forma presencial devem seguir medidas delimitadas no decreto, que são:

– Reduzir o número de pessoas no local em no máximo 50% da capacidade habitual;

– Manter espaçamento de 1 metro entre cadeiras e 2 metros entre mesas;

– Manter os banheiros higienizados no mínimo a cada 2 horas;

– Manter ambiente da cozinha e salão bem ventilados;

– Higienizar após cada uso as superfícies de toque, como cadeiras, mesas e bancadas preferencialmente com álcool 70%;

– Incentivar a entrega em domicílio (delivery) para evitar o fluxo de pessoas no estabelecimento, reduzindo a rotatividade de clientes;

– Evitar a concentração de grupos com mais de 6 pessoas em uma só mesa;

– Máquinas de cartão devem ser envelopadas com filme plástico e higienizadas com o álcool em gel 70% após cada uso;

– Em caso o estabelecimento forneça serviço self-service, disponibilizar álcool 70%;

– Exigir do cliente que mantenha a utilização da máscara enquanto estiver se servindo em bandejas de alimentos.

Secretaria de Comunicação de Macapá
Clauriana Costa
Assessora de comunicação


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *