Prefeitura de Macapá executa drenagem e desobstrução do Canal do Jandiá

Dando continuidade às medidas de combate aos pontos de alagamentos da cidade, a Prefeitura de Macapá segue com as frentes de serviço para a limpeza de canais e áreas de ressaca. As estratégias fazem parte do Plano de Ação Emergencial, criado para prevenir e reduzir impactos causados nesses locais durante o período chuvoso. Esta semana os trabalhos de drenagem e desobstrução avançaram no Canal do Jandiá, na zona norte.

Aproximadamente 25 homens trabalham com o auxílio de duas retroescavadeiras, duas caçambas e um trator para retirada de entulhos e desobstrução da área para dar vazão à água, até o canal maior, que é o Jandiá, seguindo até o Rio Amazonas. De acordo com o secretário municipal de Zeladoria Urbana, Jean Patrick, os trabalhos seguem em ritmo acelerado, apesar de alguns contratempos.

“Apesar de termos dificuldades por causa dos restos de materiais de construção acumulados e a vegetação que está muito alta no local, nós já avançamos bastante. Estamos concluindo a desobstrução do canal maior e removendo todo o entulho que compromete a passagem da água. Nos próximos dias deveremos entrar com as frentes nas áreas de ressaca”, disse Jean Patrick.

Cronograma

Conforme o cronograma de serviços, nesta quarta-feira (31) os trabalhos acontecem próximo à ponte Sérgio Arruda, com Avenida Mato Grosso, no bairro Pacoval. Segundo Bruno Baia, coordenador de Supervisão de Áreas de Ressaca e Canais, a partir dos próximos dias, a ação receberá o apoio de mais homens e maquinários. Com o aporte, as equipes avançarão para as áreas de ressaca.

“Esse reforço vai nos possibilitar fazer um trabalho paralelo ao Canal do Jandiá, entrando nas áreas de ressaca. Vamos retirar todo o lixo, que hoje é o que mais dificulta o fluxo da água. Deveremos entrar na Avenida Mãe Luzia, Marcílio Dias e Ponte do Axé”, concluiu o coordenador.

Conscientização

A Prefeitura orienta que a população continue contribuindo, não jogando lixo na rua e evitando o descarte de material de construção, como areia e brita nas calçadas. Além de ser proibido por lei, o material obstrui as vias e também contribui para os alagamentos.

Mônica Silva
Secretaria Municipal de Zeladoria Urbana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *