Prefeitura de Macapá inicia cronograma de vacinação contra sarampo em escolas da capital

A Prefeitura de Macapá iniciou nesta segunda-feira, 9, um cronograma de vacinação contra o sarampo nas escolas estaduais e municipais. As primeiras a receber as equipes de imunização foram as escolas de educação infantil Creche Tia Chiquinha e AEIOU, na zona norte da capital. A atividade é uma das estratégias da Secretaria Municipal de Saúde para aumentar a cobertura vacinal em crianças a partir de 1 ano até adolescentes de 19 anos.

Além dos alunos, pais e responsáveis até 59 anos também podem se imunizar, caso não tenham registro de vacinação. A diretora da creche, Marilda Navegante, enfatizou a importância da atividade para garantir a saúde e desenvolvimento dos alunos. “A vacinação na escola é uma forma de garantir o direito à saúde e, assim, a permanência da criança na creche de maneira saudável, bem como promover o acesso das famílias aos serviços de saúde”.

Até o dia 20 de março, a vacinação ocorrerá em 55 escolas, pactuadas no Programa Saúde na Escola (PSE). Antes de receber a vacina, pais ou responsáveis são orientados sobre a atividade e recebem um termo de consentimento para que o aluno seja imunizado. “Todos os alunos passam primeiro por uma avaliação da caderneta, caso seja constatado o esquema incompleto é que ele é vacinado, e aprazada as doses sequentes. Por isso, é muito importante que os pais autorizem os menores a participar da atividade, que enviem a caderneta de vacina para que seja avaliada e, caso necessário, receba a vacina”, explicou a coordenadora de Imunização, Jorsette Cantuária.

Paralelo a ação nas escolas, a vacina também está disponível em todas as salas de vacina das UBS’s de Macapá, de segunda a sexta, de 8h às 17h.

Esquema vacinal

O Ministério da Saúde prevê que crianças e adultos, com idade entre um ano a 29 anos, devem ter duas doses da vacina contra o sarampo. Acima desta faixa, até 59 anos, é preciso ter uma dose. Não há indicação para pessoas com mais de 60 anos, pois esse público potencialmente teve contato com o vírus, no passado.

Jamile Moreira
Assessora de comunicação/Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *