Presidente da Fundação Cultural Palmares divulga Bolsa Permanência e II Prêmio Oliveira Silveira – Infantojuvenil em Macapá

O presidente da Fundação Cultural Palmares (FCP), Vanderlei Lourenço, divulga em Macapá e em Maceió, o Programa Bolsa Permanência 2019 que está com inscrições abertas. São ofertadas 4 mil vagas voltadas a estudantes indígenas e quilombolas de ensino superior de instituições federais. As inscrições podem ser feitas pelo Sistema de Gestão da Bolsa Permanência (SISBP) da Secretaria de Educação Superior (SESU) do Ministério da Educação (MEC).

Em visita ao estado de Alagoas, Lourenço esteve com o governador em exercício, Jaime Nunes, com o prefeito de Macapá, Clécio Luis e com lideranças quilombolas do estado. Lourenço falou da importância da Bolsa Permanência para que se garanta a inclusão de jovens quilombolas nos espaços universitários. “Precisamos e queremos esses jovens nos espaços acadêmicos para que possamos alcançar um país equânime com todas as suas populações devidamente atendidas”, disse.

Nesse processo, a Palmares contribui emitindo aos estudantes das comunidades certificadas a Declaração Bolsa Permanência, que é o documento onde as lideranças comunitárias, respaldadas pela Fundação, autenticam o pertencimento étnico de cada um deles. Estudantes quilombolas que necessitarem da Declaração devem solicitar por meio de suas lideranças à Fundação por meio do e-mail [email protected]

As inscrições para o Bolsa Permanência deste ano seguem até 30 de agosto. Até esta data será feita também a análise da documentação comprobatória de elegibilidade do estudante ao Programa e a aprovação do respectivo cadastro no SISBP pelas instituições federais de ensino superior.

De acordo com o MEC, o PBP foi instituído em 2013 e “tem por finalidade minimizar as desigualdades sociais, étnico-raciais e contribuir para permanência e diplomação dos estudantes de graduação em situação de vulnerabilidade socioeconômica das instituições federais de ensino superior”.

Prêmio Oliveira Silveira – O presidente Vanderlei Lourenço também falou a respeito do Prêmio que está com inscrições abertas até 22 de julho. A iniciativa é um método de fomento às obras de escritores que trabalham com foco na cultura negra. O objetivo do edital é cumprir com as diretrizes formuladas pelo Plano Plurianual do Governo Federal e pelo Plano Nacional de Cultura difundindo, promovendo e incentivando produções literárias que registrem, revelem e/ou resgatem a cultura afro-brasileira.

Nesta edição serão selecionadas cinco propostas de ficção direcionadas ao público com faixa etária entre oito e 12 anos. As obras devem ser inéditas e conter narrativas imaginárias, com temas e conteúdos que sejam compatíveis com a compreensão do público infantojuvenil. Devem abordar fatos históricos que valorizem a participação do negro na constituição da sociedade brasileira, questões afetas ao negro no Brasil e manifestações afro-brasileiras. Para concorrer ao Prêmio, os escritores devem ficar atentos ao prazo de inscrições.

Serviço:

Daiane Souza
Jornalista
(61) 3424 0334
Assessoria de Comunicação
Fundação Cultural Palmares


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *