Produtores de mandioca do Amapá são capacitados em inovação tecnológica

Cultivo de mandioca é um bom negócio, os produtos derivados fazem parte da alimentação da maioria da população.  Porém, o agricultor precisa ter acesso a tecnologias, para ter sucesso na cadeia produtiva deste produto. No Amapá, uma iniciativa é o Programa de Modernização do Cultivo da Mandioca, fruto da parceria entre Embrapa Amapá, Sebrae e Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural. Como ação deste Programa, nos dias 25 e 26 deste mês vai ser realizado em Macapá (AP), o 1º Encontro Estadual de Inovações da Cadeia Produtiva da Mandioca no Estado do Amapá.

A abertura do evento será no próximo dia 25/5, a partir das 8 horas, na Sala do Conhecimento do Sebrae Amapá. Foram convidados para a abertura, gestores de instituições municipais, estaduais e federais, além de parlamentares, para conhecerem os resultados iniciais da primeira fase do Programa, que são a disponibilização de manivas-sementes de mandioca de elevada qualidade genética e fitossanitária aos agricultores, por meio da formação de maniveiros no estado do Amapá.  As demais atividades serão realizadas em campos experimentais da Embrapa.

Minicurso Rede Reniva

Esta capacitação será realizada no Campo Experimental de Fazendinha (Macapá-AP), na quinta-feira, 25/5, nos períodos da manhã e tarde, ofertado para maniveiros vinculados aos Programa de Modernização do Cultivo da Mandioca, indígenas e agentes ambientais que prestam assistência técnica a comunidades produtoras de mandioca no município de Oiapoque, extensionistas e pesquisadores da Embrapa. O minicurso será ministrado pelos analistas Hermínio Sousa Rocha e Helton Fleck da Silveira, da Embrapa Mandioca e Fruticultura (Cruz das Almas, Bahia), responsáveis pela consolidação da Rede Reniva, uma estratégia nacional de massificação na produção em escala comercial de manivas-sementes de mandioca de elevada qualidade genética e fitossanitária.

Dia de Campo e visita à fábrica de fécula

O Dia de Campo vai acontecer na manhã do dia 26/5, em visita orientada aos participantes credenciados, percorrendo experimentos de mandioca no Campo Experimental da Embrapa Amapá no Cerrado, (km 43 da BR 210) e à fecularia Vale do Amazonas, localizada na comunidade Campina Grande (BR 156), município de Macapá. A organização do evento espera receber cerca de 100 participantes. Na ocasião será apresentado vídeo produzido pelo extensionista do Instituto Estadual de Extensão, Assistência e Desenvolvimento Rural (Rurap), Jock San Souza Mineiro, abordando a trajetória da Rede Reniva. Em seguida, os participantes conhecerão o experimento de mandioca da Embrapa, com monitoria do maniveiro credenciado da Embrapa, engenheiro agrônomo Benedito Dutra; analista de transferência de tecnologia, Walter Paixão, chefe de Pesquisa, Cristiane Ramos de Jesus, e pesquisador Nagib Melém (todos da Embrapa Amapá). Na visita às instalações da fecularia Vale do Amazonas, a diretora Sandra Siqueira vai apresentar a trajetória desta agroindústria instalada no Amapá, e as perspectivas de parcerias com associações e cooperativas e produtores para consolidar um sistema integrado de beneficiamento de mandioca no estado, além do potencial das novas cultivares da Embrapa para este sistema.

Manivas-sementes de elevada qualidade

De acordo com o IBGE, o Amapá produziu no ano de 2020 cerca de 112 mil toneladas de raiz da mandioca, o que coloca este produto como um dos principais produtos da agricultura familiar local, embora considerado um índice baixo de produtividade. O desafio para superar este problema passa pelo uso de manivas-sementes de mandioca de reconhecida qualidade genética e fitossanitária, e também práticas de cultivo com maior nível tecnológico. Com isto, em curto tempo poderiam duplicar a produtividade, e ofertar o produto com maior regularidade às agroindústrias, possibilitando ao estado do Amapá ser autossuficiente na produção de farinha de mandioca, goma e farinha de tapioca.

Dulcivânia Freitas, Jornalista DRT/PB 1063-96

Núcleo de Comunicação Organizacional

Embrapa Amapá
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
Macapá/AP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *