Professores são capacitados para ensinar a historicidade do Marabaixo e do Batuque em sala de aula

Marabaixo1-2-1

Foto: Elton Tavares

A valorização das culturas genuinamente amapaense, o Marabaixo e o Batuque, passam a ter papel de destaque no ensino-aprendizagem das escolas municipais de Macapá. É que a partir deste sábado, 13, os professores da rede participarão de capacitação para transmitir às crianças a historicidade dessas manifestações, de forma lúdica e prazerosa. A Escola Josafá Aires será o primeiro polo da capacitação, que abrangerá professores de outras 11 unidades de ensino, totalizando cerca de 200 educadores por oficina.

A iniciativa é da equipe do Programa da Educação das Relações Étnico-Raciais da Semed, que com o projeto Marabaixo e o Batuque no Fazer Pedagógico desenvolverá oficinas de conhecimento para todos os professores do Município, que atuam no Ensino Fundamental. Uma das técnicas do programa é a conhecida e respeitada marabaxeira Laura do Marabaixo, filha do Laguinho e defensora da cultura amapaense.

O projeto preconiza a Lei 10.639/03, que determina a obrigatoriedade da inclusão de conteúdos da História da África e Cultura Afrobrasileira nas disciplinas de História, Língua Portuguesa e Artes. “Vamos dar ênfase aos componentes de Estudos Amazônicos por sua estreita relação com os temas étnico-raciais locais, uma vez que percebemos que os professores não trabalham as duas manifestações culturais mais importantes do estado do Amapá por desconhecimento”, explica Eliete Santos, gerente do Programa da Educação das Relações Étnico-Raciais.

Durante as oficinas, que acontecerão todos os sábados, em diferentes escolas, serão desenvolvidos momentos de discussões sobre o ciclo do Marabaixo e do Batuque; vivências da história local e regional das manifestações, possibilitando um aprofundamento para se trabalhar na sala de aula; prática das danças; apresentação dos elementos que compõem o Marabaixo e Batuque. Com este conhecimento, a proposta do projeto apresenta aos professores o desafio de fazer com que os seus alunos passem a construir e apresentar ladrões de Marabaixo e Badaias de Batuque (as músicas) e a se sentir como ente pertencente às culturas.

Para tornar as oficinas ainda mais significativas, as escolas sedes da capacitação receberão o Museu do Negro itinerante (Vinculado ao Improir), com peças e raridades do Marabaixo e Batuque, além de louças do Maruanum. É um acervo rico que ficará em exposição por dois dias.

Serviço:

Data: 13/08/16 (sábado)
Hora: 8h às 12h
Local: Escola Josafá Aires
Endereço: Rua 1º de Janeiro, 156, bairro Infraero I. Ponto de referência: atrás do Campo do São Paulo

Rita Torrinha – 99189-8067

Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*