Programa de cooperação internacional é apresentado pelo SESI SENAI Amapá e SEBRAE ao Governo do Estado

Como parte da agenda de internacionalização do estado, o SESI e o SENAI Amapá, em parceria com o SEBRAE, apresentaram para o Governo do Estado, o Programa de Cooperação Amapá/Itália. Uma pauta que busca mostrar soluções tecnológicas para o executivo, com projetos focados na agenda da bioeconomia.

No encontro, o Diretor Regional do SESI SENAI Amapá, Sergio Moreira, frisou a importância das parcerias nacionais – especialmente os programas que são liderados com a participação do Governo do Estado – e internacionais. “O resultado é a exploração sustentável da riqueza natural que existe na Amazônia com o objetivo de gerar produtos com valor agregado que possam mudar a qualidade de vida das pessoas”, disse o gestor.

O consultor Emílio Beltrami, especialista em internacionalização empresarial e desenvolvimento territorial, destacou que o crescimento das cadeias produtivas para o alcance de mercados globais envolve pesquisa, capital humano e inovação. “O Brasil, assim como a Itália, tem em comum a micro e pequena empresa, e queremos levar soluções pra essas pessoas que produzem artigos que podem se transformar em itens de luxo, assim como fizemos”, destacou.

Beltrami expôs o programa de cooperação focado em diversos produtos que têm potencial para serem transformados, tais como: artefatos de madeira, desenvolvimento de produtos e peças de vestuário.

O governador do Amapá, Clécio Vieira, pontuou que o SESI e o SENAI são grandes parceiros em diversas frentes de trabalho. “Nosso objetivo é ampliar novos horizontes, com a economia aquecida e a expansão dos produtos regionais”, concluiu.

Termo de cooperação com a Guiana Francesa

Na agenda com o Governo do Estado também aconteceu a assinatura do Termo de Cooperação entre o SESI SENAI Amapá e o CTG (Collectivité Territoriale de Guyane), que trabalha ações de qualificação profissional nos centros de educação da Guiana Francesa.

O acordo vai contribuir para a capacitação da comunidade de sete vilarejos do território francês de Escolas Familiares e Rurais. Além disso, as instituições brasileiras vão elaborar planos para apoiar os setores empresariais do país vizinho para o desenvolvimento da indústria nas áreas de agro-processados de alimentos e biocombustíveis.

Assessoria de comunicação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *