Programação virtual com mais de 200 instituições: MP-AP integra 5ª Semana Nacional de Arquivos, com Roda de Conversa sobre Arquivo e Memória

O Ministério Público do Amapá (MP-AP), por intermédio do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (CEAF) e Memorial do MP-AP, participou nesta quinta-feira (10) – de forma virtual – da 5ª Semana Nacional de Arquivos, organizada pelo Arquivo Nacional. A instituição amapaense integrou a programação, com o apoio da Procuradoria-Geral de Justiça, órgão ministerial, com uma Roda de Conversa denominada “Arquivo, memória institucional e gestão do patrimônio documental”. O objetivo do encontro é aproximar as instituições da sociedade, aumentar sua visibilidade e divulgar os valiosos trabalhos desenvolvidos.

Na ocasião, o subprocurador-geral de Justiça para Assuntos Administrativos e Institucionais do MP-AP, Nicolau Crispino, que representou a PGJ do MP-AP, Ivana Cei e que também coordena interinamente o CEAF/MP-AP, fez a abertura do evento.

“Essa Roda de Conversa está na vanguarda, pois é preciso valorizar o passado para planejar o futuro. Fico feliz em participar deste evento que fortalece o trabalho exercido por nós ao longo desses anos. Parabenizo, em nome do Dr. Marcio Alves, idealizador do Memorial do Ministério Público e da Dra. Cecília Bastos, toda a equipe que trabalhou no projeto bem sucedido do MP Memória”, salientou Nicolau Crispino.

Em seguida, o coordenador do Memorial do MP-AP, procurador de Justiça Márcio Alves, discorreu sobre a importância do resgate da Memória como fortalecimento da história do MP-AP e demais instituições. Ele também falou sobre o início do MP no Amapá, que em 2021 completa 30 anos de atuação, desde sua fundação até os dias de hoje.

O Simpósio contou com mais de 200 entidades em sua realização simultânea em todo o Brasil. O  evento iniciou no último dia 7 e tem encerramento previsto para esta sexta-feira (11). O tema da 5ª Semana Nacional de Arquivos é Empoderando Arquivos. Segundo o Conselho Internacional de Arquivos (ICA), esse assunto levanta questões sobre como os arquivos, por meio do acesso à informação, atuam no fortalecimento da responsabilidade e da transparência governamental.

A Roda de Conversa foi mediada pela professora Doutora da Universidade Federal do Amapá (Unifap), Cecília Bastos, que integrou a equipe que trabalhou o projeto do Memorial do MP-AP, por meio de um Termo de Cooperação entre o órgão ministerial e a instituição de ensino superior. Na oportunidade, ela explicou a metodologia do evento, dividido em três partes: “MP-Memória”, Tema: “Arquivo e Biblioteca do MP-AP: estrutura e acervo” e “Memória institucional e gestão do patrimônio documental”.  E, ainda, apresentou os temas e facilitadores que realizaram breves explanações sobre a temática.

Exposições dos três temas:

Durante a sua apresentação, o coordenador do Memorial do Ministério Público explanou sobre o início do MP Memória, contextualizando com a transição tecnológica, coleta de documentos, fotografias, equipamentos, móveis e empenho de todos os envolvidos. Márcio Alves também ressaltou que o Centro de Memória do MP-AP é uma referência nacional, pois é reconhecido pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) por sua organização e resgate histórico do órgão ministerial amapaense. O procurador de Justiça também agradeceu a todos que apoiaram e apoiam a iniciativa e se disse grato pelo fato do MP sempre ter fortalecido sua própria história.

Com o tema “Arquivo e Biblioteca do MP-AP: estrutura e acervo”, a analista ministerial e bibliotecária do CEAF/MP-AP, Leididaina Silva e o assessor do Memorial MP-AP, Fábio Albarado , falaram sobre a recuperação, tratamento e alocação do acervo de documentos patrimoniais em local adequado; Memória Oral, Biblioteca física e digital, e a importância do arquivo público, carente no Estado do Amapá.

Já os facilitadores da Unifap, Avelino Gambim Júnior e Jelly de Lima, que participaram com o tema “Memória institucional e gestão do patrimônio documental”, explicaram todo o processo de execução dos trabalhos realizados no Arquivo do MP-AP. E, também, sobre as possibilidades de ações futuras e planejamento de projetos voltados ao Memorial do MP-AP e sua importância em contar a história da sociedade amapaense.

Ao final, a professora Doutora Cecília Bastos agradeceu o incentivo e apoio do MP-AP para com o projeto e falou da satisfação de debater sobre a temática – tão importante para a história do Amapá e Brasil.

Participaram do evento virtual membros, servidores, estagiários, aprendizes e terceirizados do MP-AP. A Roda de Conversa também foi assistida por acadêmicos da Unifap, servidores do Tribunal de Justiça e historiadores do Estado.

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Texto: Elton Tavares
Contato: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *