Projeto Bem Diverso: agroextrativistas do Marajó participarão de oficina sobre políticas públicas

Representantes de diversas comunidades agroextrativistas da Ilha do Meio, situada no município de Afuá, na Ilha do Marajó (PA), participarão nos dias 13 e 19 de janeiro deste ano, de uma oficina técnica com o objetivo de realizar o diagnóstico socioeconômico das políticas públicas destinadas a esta região localizada no Território da Cidadania do Marajó. Por meio da “Oficina Radar – 1ª Análise da Conjuntura e Estrutura das Políticas Públicas para as Famílias Agroextativistas da Ilha do Meio”, os agroextrativistas também contribuirão para se obter um panorama atual sobre o acesso às políticas públicas na comunidade Ilha do Meio. A oficina será conduzida pela Embrapa Amapá com o propósito de contribuir com o fortalecimento da governança local, sendo realizada no âmbito do Projeto Bem Diverso, executado em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) com recursos do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF).

De acordo com a pesquisadora Ana Euler, para a realização deste evento as comunidades da Ilha do Meio foram divididas em três regiões: Açaítuba, Fábrica e Moura. Desta maneira, no dia 13 será realizado o evento com as comunidades de Açaituba e Fábrica e no dia 19 com a comunidade de Moura. No total, a atividade vai atender a 120 famílias agroextrativistas da Ilha do Meio, localizada no munícipio de Afuá. Organizada pela pesquisadora da Embrapa Amapá, Ana Euler, e consultora do Projeto Bem Diverso, Ranielly Coutinho Barbosa, a oficina “Radar” terá como facilitador o engenheiro florestal Carlos Augusto Ramos, que possui experiência na área de recursos florestais e engenharia florestal, com ênfase em ordenamento florestal, atuando principalmente em manejo florestal comunitário, comunidades amazônicas, uso florestal, organização social e Marajó.

O Projeto Bem Diverso é resultante de parceria entre a Embrapa, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) com recursos do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF). O principal objetivo é a conservação da biodiversidade brasileira e a geração de renda para comunidades tradicionais e agricultores familiares. O projeto atende seis Territórios da Cidadania em vários estados. No Estuário Amazônico (Amapá e Pará) o projeto é desenvolvido no Território da Cidadania do Marajó, com foco nas espécies açaí e andiroba. Os coordenadores locais são os pesquisadores Silas Mochiutti (Embrapa Amapá) e Raimundo Nonato Teixeira (Embrapa Amazônia Oriental). O projeto foi iniciado em 2015 e tem duração prevista de cinco anos. Atuará em dois eixos principais: 1) desenvolvimento e promoção do uso de técnicas de manejo para extração e uso sustentável de produtos florestais não madeireiros e promoção de sistemas agroflorestais e 2) identificação dos gargalos financeiros e de mercado que comprometem o aumento da produção e da renda de comunidades agroextrativistas e agricultores familiares.

Números do Projeto Bem Diverso:

– 3 Biomas
– 6 Territórios da Cidadania
– 12 Espécies Nativas
– 13 Unidades da Embrapa
– 8 Instituições Parceiras
– Investimento de R$ 33 milhões

Serviço:

Dulcivânia Freitas, Jornalista DRT/PB 1063-96
Núcleo de Comunicação Organizacional
Embrapa Amapá
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
Macapá/AP
[email protected]
Telefone: + 55 (96) 3203-0287 / 3203-0200

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *