Projeto de deputado quer proibir homenagens a pessoas condenadas por corrupção

13457660_1209661959086833_624991943_n

O Amapá pode ficar proibido de homenagear pessoas condenadas por ato de improbidade administrativa ou crime de corrupção, se aprovado o projeto de lei que tramita na Assembleia Legislativa, de autoria do presidente da Comissão de Direitos Humanos, deputado Pedro DaLua.

De acordo com DaLua, o projeto é resultado dos esforços da sociedade que culminaram com as atuais manifestações de rua e demais protestos, os quais clamam por um poder público mais sério, ético, justo e sobretudo, comprometido com o bem comum. “Dentro desse contexto, é certo que não faz sentido algum assistirmos o poder público, o qual deve sempre dar o exemplo, deixar de estabelecer critérios, ou seja, ser mais severo no momento da escolha das pessoas a serem homenageadas, seja com honrarias, títulos, ou mesmo com a denominação de escolas, estradas, viadutos”, afirmou o deputado.

O projeto de lei nº 189/2016 tramita no Poder Legislativo, foi lido na sessão de quarta-feira, 15, e segue nesta quinta-feira para a Comissão de Constituição e Justiça. Neste segundo semestre, deve passar por apreciação do plenário e se for aprovado, será encaminhado para sanção do governador.

Na proposta, inclui a proibição de homenagens aos condenados por atos de improbidade ou crime de corrupção em prédios e logradouros.

OUTRAS PROIBIÇÕES – As vedações de homenagens no projeto também se estendem às pessoas que tenham praticado atos de lesa-humanidade, tortura, exploração do trabalho escravo, violação dos direitos humanos, maus tratos a animais ou que tenham sido historicamente considerados participantes.

O projeto também estabelece o prazo de um ano para que seja feito pelo poder público, o levantamento dos logradouros e prédios públicos que se enquadram nesta lei, a fim de que sejam renomeados quando necessário.

Assessoria de Comunicação Social do Deputado Pedro DaLua

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *