Projeto de Pedro DaLua que quer garantir 2o% da programação de rádios para música de compositores amapaenses volta à pauta da Alap

13100889_1792964284272251_900719665204231332_n

Depois de esperar uma semana pela normalização das sessões ocupadas semana passada com a leitura da “PEC dos Salários”, que quer mudar a data de pagamento do funcionalismo estadual, do 5º par o 8º dia útil do mês, a pauta da Assembleia Legislativa do Amapá foi retomada na sessão de hoje, 1o.

O deputado estadual Pedro da Lua apresentou para leitura o Projeto de Lei o111/16, que dispõe sobre a destinação de 20% da grade musical das emissoras de rádio AM e FM do Amapá para a divulgação de trabalhos e obras de músicos e compositores locais e dá outras providências.

Para o parlamentar, a atividade musical do Estado precisa de um espaço cativo para poder ser ouvida, que vá além dos poucos programas que existem formatados com esta preocupação. A grade de programação das emissoras é geralmente ocupada por músicas estrangeiras e artistas do grande eixo Rio/São Paulo. O espaço que sobra é mínimo para os artistas locais.

Segundo o texto do projeto, as obras musicais compreendem músicas de qualquer gênero, de músicos, cantores ou compositores nascidos ou radicados no Estado. O artigo primeiro “determina que as emissoras de rádio AM e FM que transmitam ou retransmitam sinal ou que possuam atividade comercial no Amapá, disponibilizem no mínimo 20% da grade musical, à divulgação de trabalhos musicais compostos ou interpretados por artistas amapaenses”.

IMG-20150629-WA0096-768x512

Para DaLua, a música amapaense é patrimônio de um riqueza incalculável e que as canções locais já receberam prêmios importantíssimos dentro e fora do Brasil. Entre os artistas, o deputado cita Osmar Junior, Fernando Canto, Oneide e Patrícia Bastos, Brenda Melo, Cleverson Baía, Ademir e Aroldo Pedrosa, Rambolde Campos, Val Milhomen, Zé Miguel, Grupo Pilão, Enrico Di Micelli, Saba Tião, Lolito do Bandolim, Nonato e Venilton Leal, entre muitos outros.

Ele segue a justificativa destacando que a cultura popular e regional é fator de identidade cultural que merece seu espaço, mas que hoje compete com “produtos musicais” da cultura de massa que tomam conta das programações, guardando as raras exceções de emissoras que possuem programação segmentada.

O deputado lembrou que recentemente a música Planeta Agalopado, de autoria dos compositores Ademir Pedrosa, Orivaldo Fonseca e Sabatião foi classificada no Festival de Música do Tapajós, um dos mais importantes do Pará, que ocorre na cidade de Santarém.

A produção musical foi patrocinada pelo deputado Pedro DaLua. “Esse é somente um exemplo dos inúmeros prêmios que se possa enumerar para destacar a riqueza da nossa música. Precisamos difundi-la bem mais entre nosso povo”, destacou. Depois da leitura, Projeto de Lei segue para as comissões.

Assessoria de Comunicação do Deputado Pedro da Lua

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *