Projeto de prevenção à corrupção é apresentado em educandário na Ilha de Santana

O Ministério Público do Amapá (MP-AP) deu seguimento, nesta quinta-feira (24), na Escola Estadual Osvaldina Ferreira da Silva, localizada na Ilha de Santana, ao projeto de prevenção à corrupção intitulado “MP vai à Escola”. A ação é estratégica do MP-AP e visa estimular, no ambiente escolar, a reflexão sobre valores, princípios éticos e a cidadania. O objetivo é a prevenção primária à corrupção e apoio na formação de cidadãos conscientes.

A equipe do Ministério Público que visitou a escola foi composta pelo procurador-geral de Justiça do MP-AP, Márcio Augusto Alves, acompanhado pelo promotor de Justiça Afonso Guimarães, que atua na Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público, da Probidade e das Fundações de Macapá (Prodemap); o coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e a assessora técnica do MP-AP e assistente social, Alzira Nogueira.

Durante a visita, os estudantes da escola apresentaram à comitiva do Ministério Público um teatro de bonecos, com o tema do projeto de prevenção lançado pelo órgão ministerial. “A peça foi fantástica. Com pouquíssimos recursos, os alunos conseguiram levar a mensagem sobre os malefícios da corrupção. Parabéns!”, elogiou o promotor de Justiça Afonso Guimarães.

Na ocasião, os membros do MP-AP conversaram com os estudantes sobre os malefícios da corrupção, desde sua origem, como em ações aparentemente sem importância, no cotidiano dos alunos.

Durante sua fala, o promotor de Justiça da Prodemap e coordenador do Gaeco, contou que recebeu da sua mãe a educação e o exemplo de ser honesto.

“Minha mãe trabalhava muito e ganhava pouco, mas o que recebia era dela e de mais ninguém. E foi assim que eu aprendi, pelo exemplo de honestidade. É preciso entender que a corrupção não está relacionada apenas a desvios milionários feitos nos cofres públicos, mas sim de forma ampla, nas pequenas corrupções do dia a dia. A corrupção é algo que apodrece, que degenera uma pessoa”, afirmou Afonso Guimarães.

O PGJ ressaltou que o incentivo ao sentimento de combate à corrupção nos estudantes é imprescindível para o futuro do Brasil e este é o desafio deste projeto. Márcio Alves enfatizou que o fomento da integridade social e a educação para cidadania é essencial.

“Queremos prevenir algo que ainda não aconteceu, no caso, a corrupção nas crianças e jovens. A educação escolar como vetor para transformação dos alunos em cidadãos éticos, reflexivos e imbuídos da vontade de combater a corrupção. O futuro do Brasil está nas mãos das próximas gerações e é fundamental que possamos formar cidadãos conscientes e que tenham o sentimento de bem proceder. Vencer na vida de uma forma honesta é o melhor caminho sempre”, comentou o PGJ.

O diretor da instituição de Ensino, Mário dos Santos, enalteceu a iniciativa do MP-AP e afirmou que ele, juntamente com professores e corpo técnico da instituição de Ensino, se empenharão no trabalho de promover a prevenção á corrupção nos alunos da Escola Osvaldina Ferreira da Silva.

“Esse é um momento importante para a nossa Escola. Aliás, para o Amapá e Brasil. Agradecemos ao MP-AP pela iniciativa e garantimos que todos trabalharemos para o sucesso deste projeto”, frisou o diretor da Escola.

Cursos e Círculos de Diálogos

No encerramento das visitas às escolas, será realizada uma oficina de formação teórico-metodológica com gestores, técnicos e professores, com o objetivo de instrumentalizar esses profissionais sobre os conceitos e temas relativos à prevenção da corrupção (cultura, sociabilidade, valores, ética e cidadania), visando a introdução dessas temáticas nos componentes curriculares ministrados por eles.

Além disso, serão realizadas rodas de conversas com os alunos, utilizando os “Círculos de Diálogos” – uma metodologia de Justiça Restaurativa; oficinas de produção audiovisual e, por fim, uma mostra do material produzido, com premiação das escolas vencedoras.

Até agora, centenas de alunos e dezenas de professores de seis escolas assistiram as palestras e dialogaram com o MP-AP. Todos nestes educandários abraçaram a ideia.

SERVIÇO:

Elton Tavares
Fotos: Sávio Leite
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Estado do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *