Projeto MP Restaurativo forma a primeira turma de facilitadores em Práticas Restaurativas da instituição

Foram cinco dias de atividades, no período de 14 a 18, na Procuradoria-Geral de Justiça, para formação de facilitadores em Práticas Restaurativas com a participação de membros e servidores do Ministério Público do Amapá (MP-AP), bem como de colaboradores, servidores do judiciário e representantes da sociedade civil organizada. Este é o primeiro curso voltado para o público interno, previsto no projeto estratégico “MP Restaurativo”, para disseminar a cultura da paz adotando as ferramentas da Justiça Restaurativa como método eficaz para pacificação de conflitos e humanização das relações sociais nas ações ministeriais.

Durante as 40 horas/aula, ministradas pelas especialistas em Práticas de Justiça Restaurativas, Violeta Daou e Marta Marioni, os 80 participantes puderam apreender e exercitar a postura reflexiva, comunicação não-violenta, postura restaurativa, procedimento de práticas, por meio de conversas e círculos experimentais utilizados na formação de facilitadores, multiplicadores e formadores. Uma vez capacitados, os novos facilitadores terão condições de atuar em diferentes ambientes, com base nesses novos valores, métodos e técnicas, que acreditam no diálogo construtivo como o melhor caminho para o restabelecimento da sensação de justiça e o despertar do senso de pertencimento das pessoas.

Para o pastor da Igreja Batista da Vitória, Valdery Regis da Costa, ter feito parte dessa capacitação fez com que mudasse sua visão de um MP-AP tecnocrata. “Pude perceber um Ministério Público mais humanizado e com uma forma muito abrangedora de não só ver crimes e problemas, mas enxergar soluções e de tratar o ser humano com carinho. Todos nós sabemos que em meio a todas essas dificuldades de relacionamento o que as pessoas querem é ser ouvidas, entendidas, querem ser acolhidas. E este curso nos deu esse aprendizado. Eu saio daqui levando na bagagem essas técnicas e um aprendizado que eu acredito que será um grande sucesso no Estado, através do MP”, destacou.

As líderes operacionais do projeto estratégico, assessoras técnicas Alzira Nogueira e Carla Sebastiani, agradeceram o empenho dos participantes e informaram como os novos facilitadores recém capacitados poderão contribuir no desenvolvimento das próximas etapas do projeto MP Restaurativo que é gerenciado pelo procurador-geral de Justiça, Márcio Alves. “Este é um momento muito especial. É um caminho que iniciamos e vislumbramos hoje um horizonte muito bonito porque não é mais um caminhar solitário, pois teremos mais pessoas aderindo. Sabemos que somente o conhecimento teórico não é suficiente, pois também precisamos da prática, não só no sentido da prestação de serviços à sociedade, mas podemos utilizar muito esta metodologia nas nossas questões internas”, manifestou Carla Sebastiani.

Ao final, as procuradoras de Justiça Clara Banha, Judith Teles, Estela Sá e Maricélia Assunção, e os promotores de Justiça Milton do Amaral Junior, Anderson Batista, Marco Valério dos Santos, Klisiomar Dias, Neuza Barbosa e Eduardo Kelson de Pinho, que participaram do curso, aprovaram as técnicas das práticas restaurativas para aperfeiçoamento da atuação institucional.

Como reconhecimento ao trabalho realizado as instrutoras Violeta Daou e Marta Marioni receberam um agradecimento dos membros e servidores do MP-AP. “Fomos incumbidas de prestar essa homenagem a essa dupla que compartilhou conosco as técnicas e o sonho de ver as práticas restaurativas implantadas no Brasil”, agradeceu Estela Sá, corregedora-geral do MP-AP. No ensejo, Judith Teles, coordenadora-geral do Centro de Apoio Operacional da Infância, Juventude e Educação (CAOP-IJE), também manifestou sua gratidão: “Esta é uma pequena lembrança, mas de grande significado como agradecimento por este curso onde vocês vivenciam o que há de melhor para os nossos dias, que é essa busca da restauração do homem, um ser em permanente mudança”.

SERVIÇO:

Gilvana Santos
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *