Projeto que reserva 20% das vagas em empresas de vigilância para mulheres ganha apoio do sindicato da categoria

mulher_vigia-1

Permanece em análise o Projeto de Lei 252/16, de autoria do deputado Pedro DaLua (PSC), que trata da obrigatoriedade da contratação de 20% de mulheres no efetivo das empresas especializadas em vigilância e transporte de valores e os estabelecimentos financeiros. O projeto é uma alteração na lei que hoje é obedecida por estes estabelecimentos.

De acordo com o sindicato da categoria, são muitas as dificuldades enfrentadas por vigilantes femininas na hora da contratação. A entidade declarou apoio ao deputado. DaLua defende que as mulheres recebem o mesmo treinamento que os homens e estão capacitadas para a função. “O que existe aqui é uma questão de preferência das empresas pelos homens. Isso precisa ser repensado”, avaliou.

13064080_1786784044890275_1680222370_o

O deputado também disse que não existe qualquer intenção de tirar o emprego de quem está colocado, e que, se o projeto for aprovado, o percentual para as contratações passa a valer a partir de agora. “De cada quatro novos vigilantes contratados, uma vaga tem que ser do sexo feminino”, explicou.

DaLua ainda falou que a situação é comum em todo o país, com as empresas predominando em seus quadros de funcionários a figura masculina. Para ele, existiria um temos dos empresários do setor no sentido de que a presença feminina passaria imagem de fragilidade. “Volto a dizer que essa interpretação tem que ser repensada. Não podemos permitir qualquer espécie de discriminação ocorrendo nos dias de hoje”, concluiu.

Assessoria de Comunicação do Deputado Pedro DaLua
Texto: José Marques Jardim

Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*