Promotoria de Tartarugalzinho realiza audiência concentrada para discutir implantação do SAMU no município

Diante da indisponibilidade dos serviços oferecidos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), em Tartarugalzinho, a titular da Promotoria de Justiça de Tartarugalzinho Klisiomar Lopes Dias, reuniu-se com representantes de diversos setores do governo, para a realização de uma audiência concentrada. Durante o encontro foi debatida a questão e formulado uma possível resolução do problema.

Na audiência foi apresentado um histórico sobre implantação do SAMU em Macapá e como a experiência vem dando certo devido ao apoio do município. Em seguida, foi mostrada a situação atual do prédio de Tartarugalzuinho, que foi construído em 2015, porém nunca houve ocupação para o fim a que se destina. Assim, o prédio vem sendo depredado.

A secretária Municipal de Saúde de Tartarugalzinho, Jackeline Oliveira, destacou o abandono da obra do SAMU na cidade e a ausência de ambulância. Ela enfatizou que o deslocamento de pacientes tem sido realizado em carros particulares, o que contribui para a piora no estado de saúde destes.

A procuradora do Município, Sophia Noeme de Oliveira ressaltou que além da sede do município, precisam atender 16 comunidades de acesso terrestre e quase 30 de acesso fluvial, e como agravante o fluxo de migração devido às atividades agrícolas, garimpeiras e pesqueira desenvolvidas, contribuem para o elevado índice de acidentes de trânsito, violência e, consequentemente, o acréscimo da demanda de saúde. Assim, é mais do que necessária a ativação do prédio do SAMU, pois foi construído, não ocupado e agora está sendo depredado.

A representante da Secretaria Estadual de Infraestrutura (SEINF), Gláucia Maders, destacou que houve uma falha procedimental na entrega da obra, pois deveria ter sido entregue pela empresa à SEINF e a Secretaria de Administração (SEAD) para incorporação ao patrimônio do Estado e em seguida a transferência para o município, porém não foi seguido este protocolo.

O secretário de Gestão da Secretaria Estadual de Saúde (SESA), Paulo Roberto Távora de Mendonça, destacou a necessidade de cada órgão assumir sua contrapartida para a operacionalização do prédio do SAMU em Tartarugalzinho.

“O município deve seguir as recomendações feitas durante a audiência para a operacionalização o mais breve possível do prédio, pois diante do grande número de demandas, percebemos que rapidez e objetividade devem ser consideradas neste momento para que essa problemática seja solucionada sem demais contratempos”, pontuou a promotora de Justiça Klisiomar Lopes.

SERVIÇO:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Estado do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *