Proteção ambiental: ações de prevenção às queimadas iniciam nesta quarta-feira no Bioparque da Amazônia e área do entorno

Inicialmente, o trabalho se concentrará no zoneamento da área, mapeamento das comunidades existentes na região do entorno, cadastramento dos moradores e na mobilização das entidades parceiras que compõem a rede de proteção do Bioparque da Amazônia. O plano de prevenção e combate às queimadas no período de estiagem foi definido nesta segunda-feira, 10, durante reunião com os parceiros no parque.

A rede de proteção é composta pelas seguintes instituições: Bioparque da Amazônia, Ibama, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Exército Brasileiro, Guarda Municipal, Batalhão Ambiental da Polícia Militar, Delegacia do Meio Ambiente, Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agência Distrital, além da Promotoria de Meio Ambiente, Conflitos Agrários, Habitação e Urbanismo do Ministério Público do Amapá. O Bioparque está inserido no Programa Verde, do Corpo de Bombeiros Militar do Amapá, de prevenção e combate às queimadas e incêndios florestais.

O Bioparque da Amazônia possui uma área de 107 hectares de florestas, no meio do centro urbano de Macapá. O espaço é formado por ecossistemas que integram floresta de terra firme, cerrado e campos inundados (áreas de ressaca), uma fonte inesgotável da biodiversidade para a pesquisa científica e o desenvolvimento sustentável.

Desafio

No entorno de parte da área do Bioparque existem as Trilhas Guarda Parque e Aquática, que funcionam com uma espécie de aceiro (abertura na vegetação que atua como barreira para retardar ou impedir o progresso de incêndio florestal), ou a própria pressão urbana com invasões à área. “Todos os anos, o fogo ameaça a flora e a fauna silvestre aqui no parque, além da ação de caçadores, que insistem em invadir a área. A floresta do Bioparque da Amazônia é o principal refúgio desses animais. Este ano, estamos nos antecipando ao problema e o desafio é não permitir que o nosso meio ambiente seja impactado”, observou Richard Madureira, diretor-presidente do Bioparque da Amazônia.

A ideia é trabalhar a educação ambiental e a prevenção às queimadas junto aos moradores do entorno. Também será feito o monitoramento ambiental da área com uso de drone para detectar focos de incêndios ainda no início. No planejamento do Bioparque, ainda está prevista a construção de um mirante de observação da área, além de cerca e aceiro em todo o entorno do parque. “O envolvimento dos moradores do entorno do parque nesse processo é muito importante. Vamos mobilizá-los para serem integrados ao processo de educação ambiental”, disse o diretor.

Major Mateus, representante do Corpo de Bombeiros, informou que a maioria dos incêndios florestais acontecem no horário das 14h às 16h. “É quando as temperaturas atingem o pico na região e os ventos ficam mais fortes. Por isso, é preciso estar vigilante nesse período”, afirmou.

Dia da Amazônia

Entre os dias 4 a 7 de setembro, o Bioparque da Amazônia e parceiros vão realizar uma ação de educação ambiental, envolvendo todas as comunidades de entorno do parque, para prevenção às queimadas na região, em comemoração ao Dia da Amazônia, celebrado dia 5 de setembro.

Secretaria de Comunicação de Macapá
Volnei Oliveira
Assessor de comunicação


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *