Qualidade de Vida: MP-AP promove encontro de sensibilização de membros, servidores e colaboradores do Complexo Cidadão Zona Sul

Nesta quarta-feira (28), membros, servidores e colaboradores do Complexo Cidadão – Zona Sul participaram do I Encontro de Sensibilização do Programa de Qualidade de Vida no Trabalho e do projeto MP Restaurativo, coordenados pala Procuradoria-Geral de Justiça do Ministério Público do Amapá (PGJ/MP-AP), visando promover uma cultura de bem-estar e saúde no ambiente institucional.

Para falar sobre os temas, foi utilizada a metodologia das práticas de justiça restaurativa, os chamados “círculos de diálogos”, que possibilitam uma conversa franca e equilibrada entre os participantes, conduzida por um mediador capacitado pelo Núcleo de Práticas Restaurativas de Santana, de modo que todos possam conhecer melhor os anseios e necessidades do próximo.

Na abertura do evento, o gerente do programa MP Comunitário, Vilas Boas, relatou a experiência do MP e os avanços a partir dessa metodologia restaurativa. “Nosso trabalho comunitário foi aperfeiçoado com as práticas circulares e tenho certeza que trará excelentes resultados para a nossa casa”.

O promotor de Justiça Flávio Cavalcante, que está assumindo a coordenação do Complexo Cidadão – Sul, disse que a possibilidade de dialogar abertamente facilita a construção de um ambiente de trabalho mais saudável e fraterno. “Essa é a primeira vez que paramos nossas atividades funcionais para falarmos das nossas necessidades humanas. Sem dúvida, é uma grande oportunidade de crescimento pessoal e profissional para todos nós”.

“Utilizamos nas Promotorias de Santana e tivemos um resultado fantástico. De igual modo, levei o que aprendi para casa e tenho conduzido círculos de diálogos com meus filhos e amigos. Posso dizer que tem sido uma experiência muito rica”, relatou a chefe de gabinete da PGJ, promotora de Justiça Gisa Veiga, que também reconhece as práticas restaurativas como ferramentas importantes para o fortalecimento das relações interpessoais nos mais diversos níveis e ambientes.

Em sua fala, o procurador-geral de Justiça, Márcio Alves, reafirmou o desejo de implementar no MP-AP as melhores práticas de qualidade de vida, buscando modelos e projetos exitosos que possam ser adaptados à nossa realidade, valorizando todos os colaboradores da instituição.

“Fiquei surpreso e muito feliz quando cheguei aqui e vi esse auditório cheio. Desde que assumi a PGJ percebi que precisávamos dar mais atenção para o nosso ambiente de trabalho. Passamos boa parte do dia aqui e, às vezes, sequer sabemos o que se passa com o nosso colega. Para atender melhor as pessoas e ajudar a quem precisa, devemos cuidar da nossa saúde emocional. Precisamos ter um momento só nosso para refletir sobre a vida e isso não pode ser negligenciado em nenhuma hipótese”, reforçou o PGJ.

Uma nova cultura institucional

Foram quatro horas de programação. Após a abertura, realizada no auditório do Complexo, os participantes foram divididos em oito Círculos de Diálogos, formados por promotores de justiça, servidores, terceirizados e demais colaboradores do MP.

Os Círculos promovem o encontro de pessoas de uma mesma comunidade ou grupo para possibilitar o processo de diálogo, visando a construção de um espaço seguro que permita a livre expressão, a empatia, o respeito mútuo e a responsabilidade coletiva pela tomada de decisões.

Ao final do encontro, é possível que os membros do grupo tenham desenvolvido mais confiança na expressão de ideias e nas diretrizes adotadas por todos.

Qualidade de Vida

Para envolver todos que atuam na instituição, eventos semelhantes serão realizados em todas as unidades administrativas do Ministério Público. As atividades são organizadas e conduzidas pelas servidoras e assessoras técnicas do MP, a psicóloga Carla Schneider, líder do programa de Qualidade Vida da instituição e a assistente social Alzira Nogueira, coordenadora do projeto MP Restaurativo.

“O MP é pioneiro na utilização de práticas restaurativas no Estado do Amapá e tem feito um grande trabalho junto à comunidade. Agora, dentro de uma nova perspectiva, vamos fazer o mesmo trabalho para dentro da instituição e assim nasce o projeto MP Restaurativo. Vamos continuar sensibilizando as outras promotorias e, partir de março, começamos a agenda de capacitação”, detalhou Alzira.

Carla Schneider avaliou os resultados. “Terminada as atividades, fiquei muito feliz e emocionada com cada abraço, gesto de carinho e felicidade das pessoas que puderam, enfim, parar um pouco pra pensar. Nessa sociedade contemporânea, vivemos no atropelo e a gente acha que não tem tempo pra cuidar da gente. Devemos criar alternativas para quebrar essa rotina. Vimos claramente o quanto foi positivo para todos”.

A construção do programa de qualidade de vida está acontecendo de forma colaborativa. Para tanto, todos estão recebendo um e-mail com um questionário para diagnóstico e sugestões. As ideias serão sistematizadas até maio.

O Comitê Gestor do Programa de Qualidade de Vida é composto também pelos procuradores de Justiça Clara Banha e Jair Quintas e os servidores Telma Coelho, Roberto Bastos e William Tavares.

SERVIÇO:

Ana Girlene
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Estado do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *