Quando eu gosto, gosto. Mas quando odeio, odeio…*Republicado

Sabem, mesmo ao conhecer a Doutrina Espírita e o lance do Karma, baseado na ação e reação que ecoa durante as existências, não consigo me libertar de certos sentimentos ruins. Vou explicar.

Tento fazer o bem para todos, tanto aos meus, quanto aos estranhos. Tento mais ainda não fazer mal a ninguém, pois como diz um velho ditado: “muito ajuda quem não atrapalha”.

O problema é quando pego raiva, ódio ou nojo de alguém….sobretudo de pessoas que me sacanearam sem eu ter feito nada a elas. Sou um sujeito que assume erros e muitos desafetos tem razão em suas antipatias para comigo. Mas porra, quando tô inocente na parada e vem filha da puta tentar armar arapucas para este gordo, aí é foda.

Até quando não gosto, deixo quieto, pois prejudicar alguém é muita canalhice e não luto com essas armas. Quando precisam de mim, tento sempre resolver os problemas das pessoas. Se for um familiar ou amigo querido, resolvo de qualquer jeito.

Mas quando nutro antipatia, forte ou fraca, por uma criatura, não a quero por perto, pois somente sua presença me incomoda. Ajudá-la em algo então, nem pensar. Meu espírito não alcançou tal grau de evolução. Somente tento ignorar a praga e sem dar chances de aproximação.

No caso de ex-amigos, faço como Jorge Amado e seu “cemitério particular: “possuo um cemitério meu, pessoal, eu o construí e inaugurei há alguns anos, quando a vida me amadureceu o sentimento. Nele enterro aqueles que matei, ou seja, aqueles que para mim deixaram de existir, morreram: os que um dia tiveram a minha estima e perderam”.

Assim mesmo! Volto a dizer, não faço nada contra ninguém, a não ser que estes filhos da puta insistam em me sacanear. Aí, sim. Terão o inferno, pois sou um bom e terno amigo, mas um inimigo focado em devastar quem ameaça minha paz.

Portanto, se gostam de mim, não me peçam para ser falso ou dissimulado para com os desafetos. Não consigo, pois sou verdadeiro demais. Os que amo sabem que os amo. Igualmente os que odeio ou desprezo. É isso.

Elton Tavares

*Republicado por conta de situação parecida, com pessoas diferentes. É foda!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *