Quarta-feira – Crônica de Marcelo Pereira – @marcelodepeche


Crônica de Marcelo Pereira

Regozijai-vos ! Hoje é quarta-feira! Povos pagãos da antiguidade reverenciavam esse dia em homenagem à Mercúrio (O Deus dos comerciantes e ladrões!). Em sueco se diz “Onsdag”, ou seja, “Dia de Odin”.

Confesso, tenho uma grande má vontade contra esse dia em especial. Explicarei: todos que conheço detestam a segunda-feira. Eu não. Porque detestaria o início da semana? Segundas-feiras representam um novo começar, um novo querer, um novo desejo! Somente os preguiçosos e amantes da vida desregrada detestam-na.

Mas então, porque pego “no pé” da quarta? Veja bem, não é um simples malquerer, raciocinem comigo: Na segunda o bom trabalhador está com carga plena, pronto para a labuta, pro que der e vier, na terça essa energia já está um pouco comprometida, mas com fé nos deuses, vamos em frente…Mas aí chega a tal da quarta-feira, sua bateria já está pela metade e você pensa: – Ainda estou no meio da semana! Pelo menos tem o futebol sagrado hoje à noite!

Mas para seu infortúnio, sua esposa vem discutir justo nesse dia sobre a relação, perguntando porque você não é mais romântico com ela, se você ainda a ama, e você preocupado se o juiz maldito não vai roubar seu time….

-Amor, deixa de bobagem, você sabe que eu te amo! Aproveita e pega mais uma geladinha pra mim, por favor.

Você ouve um impropério qualquer, fica sem a cerveja e provavelmente sem a companhia da sua esposa essa noite. Culpa de quem? Da quarta-feira é claro! Não falei que ela era danada?

E para que você não pense que a minha raiva é infundada, vos digo: minha raiva tem motivos científicos! Isso mesmo! Várias situações complicadas aconteceram em quartas-feiras, senão vejamos: pesquisei um mês aleatório, janeiro, ano de 2015 e vi que numa quarta-feira dois homens mascarados invadiram o escritório do semanário satírico Chalir Hebdo, em Paris, e mataram 12 pessoas, entre elas cartunistas, o editor-chefe da publicação, e dois policiais. Cinco outras vítimas foram internadas em estado grave.

Também numa quarta-feira, dia 18 de março de 2015, Yassine Labidi, Hatem Khachnouai e um cúmplice abriram fogo no Museu Nacional Bardo em Túnis, capital da Tunísia, matando 21 pessoas (principalmente turistas europeus) e ferindo outras 50. Outra vítima morreu dez dias depois.

Ok, leitor. Você deve estar pensando que sou um paranoico (será?!) ou adepto de teorias de conspirações…afinal de contas tragédias acontecem todos os dias da semana não é? Mas pense comigo: A quarta-feira tem algo de ruim, e vou provar isso de maneira definitiva: Quarta-feira de cinzas! Quer algo pior do que isso? O fim do carnaval? O término da alegria, dos sonhos do folião? Com toda certeza esse dia é terrível.

Faço aniversário no dia 10 de janeiro, e nesse ano de 2018 caiu numa quarta-feira..previ problemas. Mas para minha surpresa, nada! Fizemos um jantar para os familiares e me bateu uma curiosidade: no longínquo ano de 1973, o dia dez de janeiro caiu em qual dia da semana? Perguntei para meu pai e ele não lembrava, perguntei para minha mãe e ela me disse:

– Lembro como se fosse hoje, você nasceu às 06:30 da manhã, um dia quente e ensolarado, plena quarta-feira!

– Nããão! Gritei. (mentira, não gritaria com minha mãe, mas tive vontade…).

Será essa então a minha grande má vontade com esse dia? Xi…Freud explica?

Mas pensando bem, bem mesmo…as quartas não são tão ruins não ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *