Randolfe comemora aumento a PM’s e bombeiros do Ex-Território e defende transposição a policiais civis

O senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP) comemorou a aprovação no Senado Federal do reajuste salarial a policiais e bombeiros militares do Distrito Federal e dos Ex-Territórios Federais, inclusive o Amapá. Apoiador da MP 971/2020 sobre o tema, o parlamentar também defendeu durante a sessão desta terça-feira (22) o direito à Transposição dos policiais civis que fizeram concurso em 1993.

De acordo com o senador, o grupo, que representa mais de 500 policiais civis do Amapá, está amparado pela Emenda Constitucional 98 e tem direito ao enquadramento no serviço público federal.

“Infelizmente esse direito não está sendo reconhecido pelo governo. Apelamos ao presidente Davi Alcolumbre para colocar em votação a Emenda Constitucional 7, de minha autoria e que amplia o direito à Transposição. Mesmo não tendo sido aprovadas as emendas 3 e 4 da MP 971, a EC 7 contemplaria o direito dos policiais civis”, explicou Randolfe.

O parlamentar declarou também que seguirá dando apoio para que esses profissionais da segurança pública conquistem o enquadramento.

MP 971/2020

O Senado Federal aprovou nesta terça-feira (22) a Medida Provisória 971/2020, que concede aumento salarial a policiais e bombeiros militares do Distrito Federal e militares dos Ex-Territórios Federais, inclusive o Amapá.

Nesse grupo, estão 541 policiais e bombeiros da ativa, 2.244 em inatividade e 545 pensionistas.

O reajuste aprovado é de 25% na Vantagem Pecuniária Especial (VPE) devida aos policiais militares e bombeiros. Já na Polícia Civil o aumento será de 8% de forma linear para todos os cargos.

O dinheiro para custear o reajuste sairá do Fundo Constitucional do Distrito Federal (FCDF), que reserva neste ano R$ 15,7 bilhões para o governo local cobrir gastos com segurança pública, saúde e educação. O fundo faz parte do Orçamento federal.

A matéria agora segue para promulgação.

Assessoria de comunicação do senador Randolfe Rodrigues

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *