Relatório científico aponta eficiência de medidas de proteção à vida para reduzir casos de covid-19

Relatório da Superintendência de Vigilância em Saúde aponta redução de casos de covid-19 e internações em decorrência das medidas de proteção à vida adotadas no Amapá – Gráfico de média de casos – Foto: Reprodução SVS.

As medidas de proteção à vida instituídas pelo Governo do Estado do Amapá e que também foram acompanhadas pelas prefeituras, inclusive o lockdown, se mostraram eficientes e culminaram com a redução do número de casos de covid-19 e também do número de internações de pessoas acometidas pela doença.

“Os números mostram uma melhora no combate à covid-19 no nosso estado. Mais uma vez o lockdown se mostrou eficiente e mostra, cientificamente, que foi a decisão mais acertada tomada pelo governador Waldez Góes e pelos prefeitos”, comentou o superintendente da Vigilância em Saúde, Dorinaldo Malafaia.

Novos casos

No período de 21 a 27 de março foram registrados em média 554 casos confirmados de covid-19 ao dia. Na semana seguinte, de 4 a 10 de abril, esse número caiu para 374 novos casos em média por dia, uma redução significativa de 32,5% no número de confirmados. Isso significa que nesse período foram evitados 1.771 novos casos da doença no estado.

Houve também queda de 13,94% nas taxas de internações, ou seja com menos pessoas circulando nas ruas os números de casos diários diminuíram e em consequência as internações também.

O número de leitos disponíveis na rede pública passou de 254 para 335 no período de um mês, um aumento significativo de 32% na capacidade para atender novos casos.

Ritmo de transmissão

A taxa de ritmo de transmissão (Rt) também reduziu de 1.14 para 1.03 no período de lockdown, ou seja, houve uma redução do contágio de uma pessoa para outra, diminuindo o risco de espalhar o vírus.

O Rt, ou número de reprodução eficaz, é o número médio de contágios causados por cada pessoa infectada em um determinado ponto no tempo, levando em consideração mudanças no nosso comportamento (quarentena, uso de máscaras, home office, etc).

Marcelo Guido
Ascom SVS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *