Reunião debate Saúde Mental no Amapá

                                                                        Foto: Márcia do Carmo. 
 
O governador do Amapá, Camilo Capiberibe, reuniu-se, nesta quinta-feira, 1, no Palácio do Setentrião, com a coordenadora estadual de Saúde Mental, Michele Sfair e sua equipe técnica. Durante o encontro foram debatidos temas ligados ao setor. A reunião definiu medidas positivas para o avanço nos atendimentos psicossociais em Macapá e Santana.

Entre os temas, a coordenadora apresentou ao governador o Projeto de implantação do Núcleo de Saúde Mental do Amapá, que consiste em uma clínica especializada no tratamento de doentes mentais, dependentes químicos e outros tipos de doenças como depressão; a expansão do serviço psicossocial a todo o Estado.

Michele Sfair também listou demandas como a melhoria do serviço do “Consultório Móvel”, que atende nas ruas e leva o doente à Psiquiatria do Estado ou ao Centro de Atenção Psicossocial (CAPs), ambos em Macapá e implantação do Caps III, que presta serviço aos cidadãos portadores de transtornos mentais 24h.

O governador se comprometeu em apoiar a implantação do Núcleo de Saúde Mental, dialogando com a bancada parlamentar federal do Estado, em busca de recursos para a execução da obra. E  assumiu o compromisso de estruturar o Consultório de Rua, que consiste em um ônibus com uma equipe de profissionais especializados e o Caps.

Camilo Capiberibe disse ainda que dará suporte para o plano de enfrentamento ao “Crack”, droga que destrói famílias no Estado, que também é uma atribuição da Coordenadoria Estadual de Saúde Mental.

Ao final do encontro, o governador pediu a coordenadora e sua equipe técnica que liste as prioridades da Saúde Mental do Amapá, para que ele, junto ao titular da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), Edilson Mendes e a referida Coordenadoria formulem solução para resolver a demanda no Amapá.

Elton Tavares
Assessor de comunicação
Secretaria de Estado da Comunicação
  • Um grande avanço para a melhoria da saúde pública do estado essa implantação de novos centros de atenção psicossocial, ainda mais, se da forma que se espera, eles trabalharem em conjunto com outros centros especializados em recuperação de dependentes químicos agindo em conjunto com as juntas médicas do SUS e dos PSF’s locais e assistentes sociais a fim de mapear e sanar a demanda de cada área não só de Macapá mas de todo o estado!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *