Rodada de Negócios reúne mulheres da floresta na Semana de Ciência e Tecnologia no Amapá

Uma mulher cumpre o ritual secular de extração do óleo da andiroba, outra comercializa o produto beneficiado, e uma terceira adquire para cicatrizar mais rápido um pequeno corte na pele. São elos de uma cadeia que agrega valor ao chamado produto florestal não-madeireiro, um manancial de riquezas disponível na floresta. Na tarde desta quinta-feira, 24/10, representantes destes elos estarão juntas na Rodada de Negócios – Mulheres da floresta que produzem óleos vegetais da Amazônia”, evento realizado pelo Sebrae e Embrapa Amapá, na sede do Sebrae em Macapá, na Sala do Conhecimento. Esta Rodada de Negócios está vinculada à programação da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2019, que tem como tema geral “Bioeconomia: diversidade e riqueza para o desenvolvimento sustentável”.

Do campo, foram convidadas 20 mulheres extratoras de óleos vegetais das comunidades Limão do Curuá, Pancada do Camaipi, Nova Canaã, Área de Proteção Ambiental da Fazendinha, Ferreira Gomes, Ilha do Meio e Rio Maniva, localizadas em diversos municípios dos estados do Amapá e Pará. Elas vão relatar suas experiências de sucesso como protagonistas no beneficiamento de produtos florestais como os óleos de andiroba, pracaxi, copaíba, murumuru, patauá e buriti.

“Nossa expectativa é a melhor possível, será a primeira experiência de reunir extratores de óleos, mais precisamente extratoras porque é um trabalho mais realizado por mulheres com exceção da copaíba. Vamos reunir em um só ambiente extratores/extratoras que fornecem os óleos e os empresários dos setores de fármacos e cosméticos, farmácias de manipulação e também as que comercializam produtos naturais, além de massoterapeutas e investidores”, afirmou a engenheira agrônoma pesquisadora da Embrapa Amapá, Ana Claudia Lira Guedes, da equipe de organização do evento.

Esta Rodada de Negócios está vinculada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), sobretudo o Objetivo 5 (Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas), em especial às metas 5.5 e 5.6 referentes à participação plena e igualdade de oportunidades para decisão na vida econômica e o uso de tecnologias de base para promover o empoderamento das mulheres. Os 17 ODS estão previstos na Agenda 2030, estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2015 para executar um plano de ação voltado para erradicação da pobreza e proteção do planeta.

A programação consta de apresentação e divulgação dos produtos, das fornecedoras e seus métodos de produção, das áreas de produção no Amapá e ilhas do Pará; apresentação de empresas, catálogos de produtos, e demandas de aquisição de óleos; venda de produtos, compra teste, e celebração de intenção de compra futura.

Fruto de conhecimento tradicional, os métodos de extração são artesanais e variam de acordo com a espécie e a comunidade. As extratoras buscam agregar valor por meio de novas tecnologias, da rastreabilidade do produto, e de arranjos inovadores de comercialização, seja por meio da venda direta ao consumidor final, seja o estabelecimento de parcerias comunidade-empresa.

A Rodada de Negócios auxilia na identificação e captação de novos fornecedores, compradores e parceiros; realiza o contato direto com empresas e redes; incentiva a troca de informações; network; construção de parcerias e intercâmbios em âmbito nacional e internacional; além de aumentar o conhecimento de mercados potenciais; volume de vendas; entre outros.

De acordo com a engenheira florestal pesquisadora da Embrapa Amapá, Ana Euler, as extrativistas buscam parcerias para agregar valor aos produtos por meio de novas tecnologias, da rastreabilidade do produto, e de métodos inovadores de comercialização, como a venda direta ao consumidor final ou estabelecendo parcerias com empresas. “A parceria entre a Embrapa e Sebrae no Amapá existe desde 2017, oriunda do projeto Valorização dos produtos florestais não madeireiros na Amazônia (Kamukaia III), que tem como objetivo promover o uso múltiplo de produtos da sociobiodiversidade nas comunidades agroextrativistas e o fortalecimento da economia dos produtos florestais não madeireiros (PFNM) na Amazônia”, afirma o gestor de inovação do Sebrae no Amapá, Rômulo Brasão. A Roda de Negócios conta com apoio de três projetos da Embrapa: Projeto Kamukaia III; Projeto Manejo Florestal e Extrativismo, financiado pelo Fundo Amazônia, e Projeto Bem Diverso, financiado pelo PNUD/GEF. Atuam na organização as pesquisadoras Ana Euler e Ana Claudia Lira, pela Embrapa; e Rômulo Brasão e Jacks Andrade, pelo Sebrae.

Dulcivânia Freitas, Jornalista DRT/PB 1063-96
Núcleo de Comunicação Organizacional
Embrapa Amapá
[email protected]
Telefone: + 55 (96) 3203-0287 / 3203-0200

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *