Santo Daime? Não, obrigado

                                           Por Elton Tavares
Eu costumo respeitar todo tipo de seguimento ou manifestação religiosa, pois cada um acredita no quem bem entender. Só não gosto da encheção de saco proporcionada por alguns membros delas, coisas do tipo: “você precisa aceitar Jesus”, “vives em pecado” e “você virá pelo amor ou pela dor”, entre outras.

Admito que não sou lá muito religioso, acredito e Deus, mas não freqüento igrejas ou templos de espécie alguma. Sobre os santos, não saco muito deles, mas sempre ouço falar sobre os maios famosos por aqui Expedito, que ajuda os caloteiros, Pedro, que segura as chuvas, José, nosso padroeiro, Thiago, que faz uma galera ir ao Mazagão e etecetera.

Costumo brincar dizendo que só fui batizado por que meus pais me levaram, eu não tive escolha, era um bêbê de colo. A religião que mais se aproxima das minhas idéias é o espiritismo, mas não me considero um espírita, pois eles são muito mais gente boa do que eu ou pelo menos deveriam.

Mas tem um figura que anda muito popular entre os malucos, o tal “Santo Daime”, que nomeia uma religião um pouco misteriosa, que ganhou visibilidade nacional após o assassinado do cartunista Glauco. Ah, é conhecida também como “Doutrina da Floresta”.

Prestem atenção, não estou julgando a religião, é só um comentário. Só acho que tomar um líquido indígena, feito de uma planta que não sabemos nem se “pega de galho”, como dizem os amantes de verde em casa, é uma boa pedida para encontrar a paz espiritual.

Na internet, encontrei a definição: “O Santo Daime é uma manifestação religiosa surgida em plena região amazônica nas primeiras décadas do século XX. Consiste em uma doutrina espiritualista que tem como base o uso sacramental de uma bebida enteógena (para os psiquiatras), uma droga psicodélica), a ayahuasca, com o fim de catalisar processos interiores e espirituais sempre com o objetivo de cura e bem estar do indivíduo. A doutrina não possui proselitismo, sendo a pratica espiritual essencialmente individual, sendo o autoconhecimento e internalização os meios de obter sabedoria.Segundo seus adeptos, a doutrina do Santo Daime é uma missão espiritual cristã, que encaminha os seus praticantes ao perdão e a regeneração do seu ser. Isto acontece porque o daimista, ao participar dos cultos e ingerir o Santo Daime inicia um processo de auto conhecimento, que visa corrigir os defeitos e melhorar-se sempre, para que possa um dia alcançar a perfeição.”

Tááá, eu já fico cabreiro de tomar coquetéis sofisticados com vodcka. Todo esse papo é por causa de uma conversa que tive com um figura, no MSN. Saquem:

Ele: “Fale Elton! Tive minha experiência em Benevides (PA), achei bacana. tomei o chá do Santo Daime. Precisas experimentar.”

Eu: “Fale fulano. Bicho, não estou aberto a novas experiências como esta, deixa isso para lá, curta a sua nova onda, mas eu to fora”

Ele:”Mas é uma filtragem das impurezas mentais e psíquicas e olha que eu tava com medo”

Eu: “Não velho, eu passo”

Ele: “Tudo bem, mas indico, pois não vale com intuito de entorpecer e sim de purificar”

Fiquei offline e bloqueie o cidadão. Tédoidé? Se já não sou tão chegado com os santos tradicionais, ainda mais com os alternativos. Santo Daime? Não, obrigado.
  • Avatar

    Fala Eltão !! Rapá, esse negócio é sério mesmo … Também to fora … Já fico doido com suco de cevada …. imagina com esse tal de Santo Daime… “daime” paciência!! rsrsrsrs !

    Um abração !
    Ricardo

    PS. Muito bacana esse teu blog… Um espaço muito maneiro !

  • Avatar

    Poxa, o que posso falar para vc? Apenas posso lamentar. Fiz um trabalho científico falando sobre isso. A propósito, o episódio do cartunista Glauco não se adere apenas ao Santo Daime. Não sou praticante, pois não seria uma serva feliz no Santo Daime com os muitos pecados que ainda gosto de exercer. Outra dia a gente conversa sobre isso. Abraços!

  • Avatar

    “Tudo bem, mas indico, pois não vale com intuito de entorpecer e sim de purificar”…Pra mim esse cara tá com conversa pra boi dormir…e quando ele diz: “indico”…ah…sem dúvida ele deve é ser enquadrado no artigo 33, § 2º da lei 11343 de 23 de agosto de 2006( lei que estabelece normas para repressão à produção não autorizada e ao tráfico ilícito de drogas; define crimes e dá outras providências). Saca os verbos do artigo: “Importar, exportar, remeter, preparar, produzir, fabricar, adquirir, vender, expor à venda, oferecer, ter em depósito, transportar, trazer consigo, guardar, prescrever, ministrar, entregar a consumo ou fornecer drogas, ainda que gratuitamente, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar”…e o parágrafo então: Induzir, instigar ou auxiliar alguém ao uso indevido de droga (porra Elton tu vais entrar como vítima rsrsr).
    Já ouvi várias formas de se justificar a queima da “palhinha”. Tipo: Vou dar um tempo com a Maria Huana”…”Preciso disso pra inspirar”…é uma fuga da realidade”… entre outras tem a clássica: Isso não é meu não senhor, eu não uso isso eu”….mas Santo Daime!!! essa é pra torar!! rsr

  • Avatar

    Risos, engraçado isso. Fico aqui imaginando, o que o povo não faz para levar mais um para o buraco…
    Fora a estória que já conheço sobre o assunto, o resto passa, mas passa bem longe de mim…tanto me basta a santa kátia, que me alucina, me domina, e me faz feliz…rs

  • Avatar

    Posso falar da felicidade? Se já experimentei, sim. Posso falar da dor, seja física, ou de uma perda? Se já vivenciei, sim.
    Podes falar de ti? Quem és? O que és? Se te conheces ao menos um pouco, alguma coisa conseguiras falar…
    O Daime é assim. Ele apenas é e só pode falar quem já provou. Tenha certeza que nem imaginar ou ter uma ideia de como é vc terá lendo relatos… Ninguém explica o Daime. Se vc tiver a oportunidade, ele mesmo se revela a vc e pronto.
    Não tem barato.
    Tem vc frente a vc.
    Tem vc frente a sua existência.
    Tem vc frente a Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *