Sebrae apresenta Projeto JEPP e a Educação Empreendedora em Tartarugalzinho

Por Denyse Quintas

Sebrae reúne professores e corpo técnico de educação na sede do município de Tartarugalzinho, para apresentar o Programa Jovens Empreendedores Primeiros Passos (JEPP) que será aplicado no ensino fundamental, aos alunos com idade entre 6 e 14 anos.

O diretor-superintendente do Sebrae, João Carlos Alvarenga, acredita que as mudanças têm que acontecer, e as mudanças não acontecem dos outros para nós, elas têm que partir de nós para os outros. “Somos cobrados constantemente e que devemos focar, trabalhar, melhorar a educação. Temos que buscar alternativas de mudar, de fazer com que a criança tenha maior participação”, disse o diretor-superintendente do Sebrae, João Carlos Alvarenga.

O diretor do Sebrae, explica que continuamente interage com os prefeitos, com o governador e com políticos, para que se mude as posturas nas escolas, dos professores, diretores, mas que é necessário mudar a postura dos alunos. “Hoje a maior ausência nas escolas é a dos pais, toda essa cultura tem que mudar, tem que ter envolvimento da direção, dos professores e alunos, mas também tem que ter a participação dos pais. Esse trabalho que estamos fazendo em Tartarugalzinho é a Educação Empreendedora, mas ela faz com que realmente haja essa participação de todos”, declara o diretor-superintendente do Sebrae, João Carlos Alvarenga.

Para ele, essa mudança acontece inicialmente com a capacitação dos educadores que são o veículo do conhecimento, da informação e da educação. E esse treinamento, o Sebrae vai promover gratuitamente para que possam entender sobre o empreendedorismo.

“Nesse primeiro momento estivemos com o prefeito, secretário, diretores, agora com professores e demais servidores para a capacitação e orientação, para que estejam preparados e chegarem nas escolas e efetivarem o repasse aos alunos”, informa o diretor-superintendente do Sebrae, João Carlos Alvarenga.

De acordo com o secretário de Educação em Tartarugalzinho, Cristiano Melo Ramos, o apoio e parceria com o Sebrae é imprescindível para o município, uma via de mão dupla, “nós da prefeitura com o Sebrae esperamos contar sempre com esse apoio, em nome do prefeito Rildo, pois o Programa de Educação Empreendedora, traz uma perspectiva melhor para nossas escolas. Queremos alinhar com todos da comunidade, não apenas os professores, os técnicos, o pessoal de apoio, diretores e coordenadores, e precisamos que todos estejam falando a mesma língua, e todos pela educação”, afirma.

A gerente de Educação Empreendedora do Sebrae, Elisangela Ramos, revela que ser um professor empreendedor é investir onde se está, é investir na profissão, é ser um cidadão empreendedor e investir na comunidade. “O Programa de Educação Empreendedora vem justamente com esse viés de transformar a educação, não somente trabalhar a questão do empresariado, mas o intra empreendedorismo, transformar pessoas em empreendedores, que esses jovens possam sair da escola querendo empreender na comunidade, achar soluções solidárias para que possam sair da escola sendo cidadãos empreendedores”, explica a gerente de Educação Empreendedora do Sebrae, Elisangela Ramos.

Elisangela, informa que a educação empreendedora vai trabalhar no ensino fundamental do primeiro ao nono ano, com crianças de idade entre 6 anos e 14 anos. A metodologia é focada em empreender, e isso se descobre no processo de treinamento. Essa metodologia está sendo aplicada no Brasil inteiro. No Amapá, diversos municípios já foram contemplados e os resultados positivos, primeiro para a família que está recebendo um aluno com informações diferenciadas, voltando para casa e contribuindo com os pais, que fala de economia doméstica, ecologia, plantação, preço, planejamento, um aluno que está saindo da escola com mentes diferentes.

O professor é fundamental nesse processo. A metodologia vai ser trabalhada nas interdisciplinas, não precisa dissociar de nenhum conteúdo que a escola já aplica hoje; ela vem agregar inovação, dinâmica, formas de ensinar diferentes. O professor participa da metodologia na íntegra, e obviamente aprende a ser o multiplicar na sala de aula, é o facilitador desse conhecimento, e esses alunos serão os atores, são eles que vão produzir, ao final de toda a metodologia do JEPP.

Kit JEPP

Os professores serão capacitados e aplicarão a metodologia na sala de aula. Será entregue aos alunos, o kit JEPP, contendo uma mochila, camisa, o conteúdo e a metodologia. O professor recebe a camisa personalizada do programa e bolsa de estudo para a capacitação, mas o mais importante disso tudo é o resultado que a iniciativa traz, tanto para a escola, quanto ao município.

Feira

No final, será realizada uma feira de tudo que foi produzido em sala de aula, e esse é o momento de dar resposta para a sociedade e para os pais. As crianças vão vender e praticar todos os comportamentos que aprenderam durante a capacitação, e o recurso da venda dos produtos pode ser revertido num benefício para a escola, ou pode ser feito uma doação para uma instituição de caridade. Esse é o momento, de realmente, buscar conhecimento e transformar. Não vou dizer que educação empreendedora vai transformar o planeta e a educação de todas as escolas, mas hoje temos a oportunidade de fazer a diferença para os nossos jovens”, finaliza a gerente de Educação Empreendedora do Sebrae, Elisangela Ramos.

O evento contou as presenças da gerente da Unidade de Políticas Públicas do Sebrae, Célia Almeida; gestora do JEPP no Sebrae, Marília Correia; gestora de projetos do Sebrae, Vania Chermont; e o colaborador do Sebrae, Roberto Duarte.

O Programa Jovens Empreendedores Primeiros Passos (JEPP) foi apresentado na Quadra da Escola Municipal Raimunda Lobato, no dia 28 de junho, às 10h.

Serviço:

Sebrae no Amapá
Unidade de Marketing e Comunicação: (96) 3312-2832

Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*