Secretarias do Amapá realizam a “Semana da Consciência Negra” com mais de 100 atrações

As secretarias de Estado da Cultura (Secult) e de Afrodescendentes (Seafro) realizam a Semana da Consciência Negra 2021, em cumprimento ao Edital 004/2020-SECULT, que habilitou mais de 100 atrações em diversos segmentos. O evento, que tradicionalmente é realizado em novembro, não pode ocorrer por conta da pandemia e dos decretos governamentais sobre os cuidados de prevenção ao vírus da Covid-19. E, por isso, a execução ocorre neste mês de maio. A gravação das apresentações começou na segunda-feira (24) e se estende até esta sexta-feira (28), no Museu Sacaca, e serão transmitidas a partir da semana que vem, nas redes sociais da Secult e Seafro.

Ao todo são 119 atrações como Mc Super Shock, Marabaixo de Santa Maria, Marabaixo Tradição do Meu Lugar, Verônica dos Tambores, Deize Pinheiro, Rabolde Campos e Raízes do Marabaixo e Capoeira sem Fronteira, entre muitas outras.

Os shows estão divididos entre os segmentos Marabaixo/Batuque, Capoeira, Povos de Terreiro, Música Popular com Temática Negra e Dança Popular com Temática Negra. O evento é dedicado à confraternização, respeito à diversidade religiosa, valorização da cultura negra e e visa homenagear a cultura e história da população afrodescendente do Amapá.

De acordo com o titular da Secult, Evandro Milhomen, a Semana da Consciência Negra faz parte da tradição do estado e o edital contempla os grupos de Matriz Africana localizados em todo o Amapá, com suas diversidade e riqueza cultural que influenciaram a música e a nossa história.

Queremos dar oportunidade para todos as vertentes de cultura de Matriz Africana. Faremos o evento de forma online, mas com respeito aos movimentos culturais afro. A Semana da Consciência Negra envolve fé, cultura, tradição e memória. Ela faz parte da identidade nosso povo e nossa concepção de ‘cultura’, primordial para a formação da sociedade amapaense. Por conta dos cuidados que devemos ter em relação à pandemia, não foi possível realizar o evento em novembro passado. Portanto, é fundamental trabalharmos em sua realização, mesmo de forma eletrônica”, frisou o secretário de Estado da Cultura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *