Semana da Amazônia: oficina sobre manejo e criação de abelhas tem degustação do mel no Bioparque

Visando interagir com a sociedade na busca por alternativas sustentáveis da floresta, durante a Semana da Amazônia, o Bioparque realizou na última sexta-feira, 4, a oficina “Multiplicação de colmeias e implementação de melgueiras – Projeto Mel do Parque”. A ideia foi passar conhecimentos sobre o manejo e a criação de abelhas sem ferrão, existentes no meliponário do Bioparque da Amazônia.

Na oportunidade, os participantes puderam aprender sobre as técnicas de manejo das abelhas e degustar o mel produzido no meliponário. O projeto Mel do Parque vem sendo trabalhado e, brevemente, o produto estará disponível aos visitantes do Bioparque.

O meliponário do parque vai completar um ano de existência no próximo dia 25 de outubro. O projeto trabalha com três espécies de abelhas – Tiúba (Melipona compressipes), Jurupará (Melipona fulva) e Uruçu laranjada – Jandaíra do Marajó (Melipona paraenses). “Meliponicultura é o manejo de abelha sem ferrão, diferente da apicultura que trabalha com abelhas com ferrões”, explicou o biólogo Richardson Ferreira Frazão, responsável pelo meliponário do Bioparque da Amazônia.

Frazão disse que, nesse período de verão/primavera, existe uma grande oferta de flores e as abelhas têm maior facilidade de desenvolver seus ninhos dentro das colmeias. Segundo ele, é nessa época que é possível aplicar a técnica de multiplicação artificial dos ninhos.

Atualmente, o meliponário do Bioparque possui 80 colmeias. “A meta é multiplicar essas colmeias em 50% até a metade de setembro e, até o fim do ano, realizar mais uma multiplicação, deixando o meliponário do Bioparque com 150 e 200 colmeias”, estimou.

O biólogo adiantou que, após isso, será desenvolvido um planejamento de manejo para as abelhas entrarem em processo de produção de mel, a partir do néctar coletado das flores das espécies arbóreas existentes no parque.

“Cada melgueira tem capacidade de produzir até 7 quilos de mel. Nossa ideia é produzir esse mel como um produto genuinamente do Bioparque, com uma visão sustentável da floresta. Será um mel de primeira qualidade que os visitantes vão poder adquirir e levar como souvenir. Acreditamos no potencial dessas abelhas e das florestas que o Bioparque abriga e conserva muito bem”, finalizou.

Secretaria de Comunicação de Macapá
Volnei Oliveira
Assessor de comunicação
Fotos: Rafael Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *