Semana Santa:Procon intensifica fiscalização em pontos de venda de peixes

11122171_906491332705342_1654643062_o

O Instituto de Defesa do Consumidor -Procon está com equipes de fiscais do órgão nos pontos de venda de pescados criados pelo Pescap, para atender a população no período da Semana Santa. A fiscalização está acontecendo em Macapá desde o dia 30 de março e vai até amanhã, quinta-feira. O objetivo da “ronda” é acompanhar a comercialização do produto para que este chegue ao consumidor no preço estabelecido pelo Instituto de Pesca do Amapá.

De acordo com a chefe do Setor de Fiscalização do Procon, Marcela Queiroz, nos dois primeiros dias de fiscalização, não foi constatado nenhuma irregularidade, nem no preço nem no armazenamento do pescado. “Observamos apenas que o movimento nos postos autorizados pelo Pescap, foi um pouco abaixo do esperado, mas acreditamos que o consumidor vai deixar mesmo pra comprar o peixe na quinta-feira santa”, aposta Marcela Queiroz.

Para esse período da Semana Santa, foram criados 12 postos para venda de 28 espécies de pescado, dentre eles, dois caminhões-feira que estão estacionados, um na Rodovia do Curiaú e o outro no bairro Brasil Novo, além de um posto fixo na Expofeira. O consumidor pode adquirir peixe vivo e congelados também nos pontos de venda nos bairros Laguinho, Pacoval, Conjunto Macapaba, Novo Horizonte, Araxá, Zerão, Congós, Buritizal e Marabaixo. Todo o pescado comercializado nesses postos autorizados, foram tabelados a preço popular, preço esse que deve chegar ao consumidor final.

Para garantir esse preço, os fiscais do Procon estarão até amanhã, quinta-feira, 02, das 08h às 18h, acompanhando a venda, na zona norte e zona sul, e orientando os consumidores quanto ao preço de cada espécie de peixe. “Essa fiscalização assegura ao consumidor que ele vai adquirir o produto no preço que foi estabelecido entre o fornecedor e o Pescap. Caso haja excesso e o não cumprimento da tabela, o infrator será notificado e poderá ter seu produto apreendido, dependendo do grau de irregularidade que esteja praticando”, explica o diretor do PROCON-AP, Vicente Cruz.

Confira a tabela de preço, do quilo dos peixes mais procurados pelo consumidor:

Pirapitinga – R$ 10,00
Tambaqui – R$ 10,00
Tucunaré – R$ 12,00
Traíra – R$ 6,00
Sarda – R$ 7,00
Pratiqueira – R$ 6,00
Piramutaba – R$ 8,00
Pescada Amarela – R$ 12,00
Mapará – R$ 6,00
Jejú – R$ 6,00
Gurijuba – R$ 8,00
Filhote – R$ 12,00
Dourada – R$ 12,00
Corvina – R$ 8,00
Bagre – R$ 6,00
Apaiari – R$ 8,00

Tica Lemos
Procon-AP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *