Sensor que monitora qualidade do ar está em funcionamento no Portal do MP-AP

As informações capturadas pelo sensor “PurpleAir PA-II-SD” estão disponíveis para monitoramento e medição da qualidade do ar a partir desta terça-feira (22), no site do Ministério Público do Amapá (MP-AP). O aparelho está instalado no prédio do Complexo Cidadão da Zona Norte e mede em tempo real a poluição atmosférica, tornando-se um importante aliado, principalmente neste período em que os focos de queimada aumentam na Amazônia. O sensor foi uma doação do Ministério Público do Acre (MPAC) ao Amapá, garantindo mais precisão nas informações para instituições ambientais, fiscalização, segurança e pesquisas.

Em reunião virtual, os trabalhos com o sensor foram iniciados. O promotor de Justiça do Meio Ambiente, Marcelo Moreira, coordenador da Força Tarefa de Combate a queimadas e desmatamentos do MP-AP, abriu a reunião, da qual participaram a corregedora-geral da instituição, procuradora de Justiça Estela Sá; o chefe de gabinete da Procuradoria-Geral de Justiça, promotor de Justiça João Furlan; a promotora de Justiça e coordenadora das Promotorias de Laranjal do Jari, Samile Alcolumbre; a coordenadora do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente do Acre, procuradora de Justiça Rita de Cássia Lima; Vângega Nascimento, servidora do MP-AC; a delegada de Meio Ambiente, Lívia Pontes; o secretário interino de Meio Ambiente, Eudo Costa; o representante do Batalhão Ambiental, Major Fernandes; e servidores do MP-AP.

O sensor faz parte de um observatório do clima e da qualidade do ar desenvolvido por meio de uma parceria do MPAC com a Universidade Federal do Acre (Ufac) e Woods Hole Research Center, e que, agora, o MPAP faz parte. Os servidores da Promotoria de Meio Ambiente (Prodemac) e Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente (CAO/AMB) participaram do treinamento virtual para melhor uso do equipamento, que é conectado a uma rede internacional que fornece dados atuais da qualidade do ar em todo o planeta. O aparelho permite informações da qualidade do ar que variam de 3 km a 300 km dependendo da influência que o meio sofre com as queimadas e trânsito de veículos.

Para o promotor Marcelo Moreira, o sensor é um instrumento de eficiência e necessidade para a Amazônia, que neste período do ano é constantemente vítima de incêndios causados pelo homem ou desastre natural, e que irá auxiliar as atividades da Operação Verde Brasil, na qual o MP-AP, através da Força Tarefa, é parceiro do Exército Brasileiro. Órgãos ambientais e de segurança assumiram compromisso com a Operação no Estado. O Ministério Público do Amapá dará suporte, através das Promotorias de Justiça nas Comarcas. Até dezembro, o objetivo é que sensores sejam instalados em todos os municípios.

Os membros do MP-AP agradeceram à instituição e à procuradora de Justiça Rita de Cássia, pela doação do sensor pelo MP do Acre. “As queimadas são comuns ao longo da BR-156, e esperamos que o uso de sensor se multiplique pelo Amapá e pelo Norte do Brasil para fazermos uma fiscalização irmanada e garantir controle efetivo”, disse a corregedora-geral, Estela Sá.

A procuradora Rita de Cássia afirmou que o MP está fazendo o que a constituição pede, que é a defesa do meio ambiente. “E o Ministério Público é um condutor de políticas públicas, e com certeza o Amapá irá se sobressair na atuação com o sensor”, destacou.

Para acessar as informações sensor quanto à qualidade do ar é necessário entrar no site do MP, no link do sistema Purple Air (https://www.purpleair.com/map?opt=1/mAQI/a10/cC0#11/0.0757/-51.0555) ou entrar pelo www.acrequalidadedoar.info.

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Texto: Mariléia Maciel – CAO/AMB
Contato: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *