Sesc Amapá promove espetáculos gratuitos no Dia Internacional do Teatro

Por Rita Torrinha

O teatro é uma arte milenar e funciona como meio de divulgação da cultura de diferentes povos. Desde a antiguidade, o homem usou o teatro como forma de expressão. Existem vários gêneros teatrais como a comédia, o drama, a farsa, a tragédia, a tragicomédia, o melodrama, a revista e o teatro infantil, entre outros. O Dia Internacional do Teatro, 27 de março, foi criado em 1961, pelo Instituto Internacional do Teatro. Nessa data, várias organizações culturais apresentam espetáculos teatrais para comemorar o dia e permitem o acesso gratuito aos mesmos.
Em Macapá, o Sesc promoverá três sessões gratuitas das montagens “As Domésticas” e “A Última Estação”. Os espaços das apresentações serão o Restaurante do Sesc Araxá, o restaurante do Sesc Centro e o teatro Porão do Sesc Araxá. Agende-se:
As Domésticas
Inspirada no universo das empregadas domésticas, a comédia As Domésticas revela os bastidores do cotidiano de quatro mulheres, ligadas ao trabalho e a suas patroas: Dalvinha, a mais jovem, apresenta-se como a dondoca, seguidora das novas tendências do mundo contemporâneo. Sua revolta contra sua patroa,  dona Cristofálica é a exploração dos serviços domésticos e seu baixo salário; A Fatinha tem  espírito de liderança,  está sempre aprontando para cima das amigas,  é metida a intelectual, mas vive decorando tudo errado. Com um português mal conjugado na ponta da língua, ela vive assassinando as concordâncias e parafraseando citações populares completamente às avessas. Sua maior reclamação está no regime que sua patroa, Bárbara Heliodora submete.
 
A Maguinha é metida a socialista do grupo. Decorou todas as citações do Karl Marx, por conviver diariamente com sua patroa, Sonia Gafrom, socióloga e admiradora do Marx.  A sua maior revolta contra sua patroa está no fato da exploração dos serviços do lar, com três filhos para cuidar. Por fim, a Doidinha, a mais deslocada do mundo real, é a atração das amigas, vive de longas aventuras, sendo  mais desbocada, avessa a qualquer tipo de opressão, mas é completamente despolitizada. Também vive em pé de guerra com sua patroa, a japonesa radicada no Brasil, dona Karadecú Tunashi.
Ficha Técnica: Netho Pereira (Dalvinha), Rafael Nunes (Doidinha)
Francisco Ribeiro (Fatinha), Artur  Cardoso (Maguinha), Paulo Alfaia (Professora), Texto/Concepção de Luz/ Direção (Genário Dunas), Figurinos e Maquiagem (Cia. Teatro do Riso), Sonoplastia (Abraão Barros).
A Última Estação

A última Estação narra a historia de três personagens: Tairon, Lanif e Renan, ambos desencarnados e que vivem num plano espiritual novo. O Tairon é o recém-chegado que não entende a situação em que se encontra, motivo pelo qual  reluta o tempo todo pela volta, pela rotina, pelos os desejos humanos. Renan e Lanif, em estágio avançado no campo espiritual, tentam conscientizar Tairon de sua condição, mas nessa relação enfrentam verdadeiras desavenças  na busca de um consenso. Tairon é surpreendido com a visão de seu próprio sepultamento, mas prefere o subterfúgio  mergulhando num mar de desejos dos terráqueos.
Essa situação é conduzida até a chegada do mensageiro, Caon, amigo de infância,  que traz em sua mensagem palavras reflexivas, na intenção de conscientizá-lo de sua real  condição. O mensageiro tenta fechar o ciclo lançando o convite a Tairon para a partida, e este mais uma vez não aceita.
Integrantes: Álvaro Fernandes (dramaturgia); Direção coletiva. Elenco: Francisco Ribeiro/Manoel Leal/Chymiuri Nakura; Cenografia: o grupo; Figurino: Rafael Nunes; Iluminação: Sandro Brito; Trilha Sonora: Carlos Carty/ Flavia Venceslau/ Adamor do Bandolim; Realização: Grupo Em cena Ação de Teatro.
Apresentações
Dia 27.3.2014 (quinta-feira)
12h00  – “As Domésticas”, no restaurante do Sesc Araxá
13h30 – segunda apresentação do espetáculo “As Domésticas”, no restaurante do comerciário do Sesc Centro.
20h00 – apresentação do espetáculo “A Última Estação”, no Teatro Porão do Sesc Araxá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *