Setembro Amarelo: MP-AP participa de escuta pública com jovens para prevenção ao suicídio

O procurador-geral de Justiça do Ministério Público do Amapá (MP-AP), Márcio Augusto Alves, participou nesta quarta-feira (12), na Praça Floriano Peixoto, de uma Escuta Pública Especializada. O evento integrou a programação da campanha Setembro Amarelo, mês de conscientização sobre saúde mental e prevenção ao suicídio. Durante o encontro, psicólogos ouviram relatos dos jovens de Macapá sobre assuntos ligados ao tema. O objetivo foi provocar a população quanto à ideia de que o suicídio é um problema de saúde pública e reforçar o papel de cada um no combate deste sinistro social.

A iniciativa do evento foi fruto de uma parceria entre MP-AP, Prefeitura de Macapá, Governo do Amapá, Faculdade Estácio, Centro de Valorização da Vida (CVV), Movimento da Luta Internacional e o projeto Joga na Roda. Também presentes no encontro a titular da Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde, promotora de Justiça Fábia Nilci e equipe técnica do órgão ministerial.

“O setembro amarelo é o mês em que a gente fala a respeito da prevenção ao suicídio. O Ministério Público e outras organizações, neste ano, se reuniu para tratar desse tema. A ideia de utilizar a praça é para disponibilizar às pessoas, profissionais para oferecer a escuta amiga”, destacou a promotora de Justiça Fábia Nilci.

Engajamento

Na última segunda-feira (10), Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, o órgão ministerial realizou uma mesa redonda sobre prevenção e automutilação. O evento foi realizado no auditório da Procuradoria-Geral de Justiça – Promotor Haroldo Franco. O encontro contou com a participação de educadores, profissionais da saúde, técnicos das instituições que integram a rede de atenção à saúde mental, membros e servidores do Ministério Público.

Nos dias 21 e 22 de setembro serão realizadas palestras e roda de conversa em Cutias do Araguari; Já em 24 a 27 deste mês, ocorrerá uma capacitação dos profissionais da saúde, educação e assistência, no auditório da PGJ e no dia 28, haverá intervenção no Macapá Shopping, com informação e exposições. Todos estes eventos são fruto do trabalho em conjunto do MP-AP com as organizações de combate ao suicídio.

“Essa escuta pública possibilitou o diálogo sobre o tema sem tabus e com esclarecimentos pertinentes aos presentes. Estamos trabalhando junto às instituições na prevenção e combate ao suícidio. Este mal mata 30 pessoas por dia em nosso país e afeta especialmente os jovens, o que nos sensibiliza e preocupa. Qualquer cidadão pode contar com o MP-AP, pois como já diz o tema da nossa campanha, viver é sempre a melhor opção!”, frisou o PGJ.

Campanha

A cor amarela é usada para representar o mês da prevenção do suicídio por causa de Dale Emme e Darlene Emme. O casal foi o início do programa de prevenção de suicídio “fita amarela”, ou “Yellow Ribbon” em inglês.

Em 1994, Mike Emme, filho do casal, com apenas 17 anos, atentou contra a própria vida, infelizmente. Mike era conhecido por sua personalidade caridosa e por sua habilidade mecânica. Restaurou um Mustang 68 e o pintou de amarelo. Mike amava aquele carro e por causa dele começou a ser conhecido como “Mustang Mike”.

Entretanto, aqueles próximos de Mike não viram os sinais e o fim da vida do garoto chegou. No dia do funeral dele, uma cesta de cartões com fitas amarelas presas a eles estava disponível para quem quisesse pegá-los. Os 500 cartões e fitas foram feitos pelos amigos de Mike e possuíam uma mensagem: Se você precisar, peça ajuda.

CVV

O Centro de Valorização da Vida é reconhecido como Utilidade Pública Federal desde a década de 1970. É uma organização sem fins lucrativos e filantrópica que busca dar apoio emocional e prevenção do suicídio para quem precisa. Desde 2015, é possível entrar em contato com eles através do telefone, de maneira gratuita. Basta ligar para o número 188. O atendimento é anônimo e realizado por voluntários que guardam sigilo.

SERVIÇO:

Elton Tavares
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Estado do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *