Setembro Amarelo: MP-AP realiza mesa redonda sobre prevenção ao suicídio e automutilação

Nesta segunda-feira (10), integrando a programação em apoio à campanha mundial “Setembro Amarelo”, o Ministério Público do Amapá (MP-AP) realizou uma mesa redonda sobre prevenção ao suicídio e automutilação. O evento ocorreu no auditório da Procuradoria-Geral de Justiça e faz parte de uma série de atividades construídas em parceria com as instituições que integram a rede de atenção à saúde mental; em âmbito estadual e municipal, para fortalecer o lema “Juntos pela vida”.

A data escolhida para o debate não foi aleatória. 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio e toda a campanha abraçada pelo MP-AP visa conscientizar a sociedade sobre a importância do diálogo e de tratar o tema sem tabu. A data foi estipulada em 2014, através de uma iniciativa do Centro de Valorização à Vida (CVV), do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP).

Segundo o relatório de prevenção ao suicídio da Organização Mundial da Saúde (OMS), aproximadamente 800 mil pessoas cometem suicídio por ano no mundo. Atualmente é a segunda principal causa de morte de jovens entre 15 e 29 anos, e a falta de cuidados com a saúde mental está associada a praticamente 100% dos casos.

Na abertura do evento, o procurador-geral de Justiça, Márcio Alves, além de dar boas-vindas aos participantes e debatedores, relembrou a trajetória do CVV no Amapá e o apoio da instituição para que o órgão tivesse condições de atuar no Estado.

“Ficamos muito felizes por acolhê-los em nossa casa e recordo quando iniciamos as tratativas para termos o CVV em Macapá. Essa preocupação já é antiga e, infelizmente, quando olhamos esses números, que afetam especialmente os jovens, ficamos ainda mais sensíveis à causa. Estamos falando de uma epidemia que mata 30 pessoas por dia em nosso país. É mais que uma guerra, e para enfrentarmos esse quadro, precisamos estar unidos em rede, travando essa luta de setembro a setembro. Contem sempre conosco”, manifestou o PGJ.

A mesa redonda foi mediada pelo promotor de Justiça Manuel Felipe Menezes, que tem larga experiência com projetos voltados à temática. “Fiquei muito honrado de recebê-los essa manhã para debatermos essas questões. Nossa instituição tem um papel muito importante, não só em defesa das leis, mas, como promotores de justiça, é nosso dever também lutarmos pela vida dos nossos jurisdicionados”.

Causa, consequências e prevenção

Para abordar a complexidade da temática e apresentar perspectivas para o atendimento correto das ocorrências, bem como a forma adequada de tratar o assunto, foram convidados especialistas de diferentes áreas.

Nesse sentido, participaram da mesa redonda, o professor Doutor Washington Brandão, do Ambulatório de Atenção à Crise Suicida – NAPE/ Universidade Federal do Amapá – Unifap; o professor Mestre Rodrigo Trindade, do Núcleo de Práticas Restaurativas da Escola Estadual Barão do Rio Branco; a psicóloga Aimara Freitas, coordenadora de Saúde Mental do Município de Macapá, e a representante do CVV, Enedina Modesto.

Dentre as contribuições, foi esclarecido que o suicídio é um fenômeno complexo que pode afetar indivíduos de diferentes origens, classes sociais, idades, orientações sexuais e identidades de gênero. “90% dos casos pode ser prevenido. Incentive a pessoa a procurar ajuda de um profissional ou serviço de saúde”, orientou o professor Washington.

Todos os debatedores deram ênfase para a prevenção, sendo comprovado o papel protetor e acolhedor das relações interpessoais para lidar com os mais diversos problemas. Existem estudos evidenciando que pessoas, cujos relacionamentos são fortes e diversos, podem lidar melhor com várias tensões como luto, estupro e doenças físicas, além de desfrutarem de uma saúde melhor.

Participaram também do evento, educadores, profissionais da saúde, técnicos das instituições que integram a rede de atenção à saúde mental e as promotoras de Justiça Gisa Veiga, chefe de Gabinete da PGJ, e Glaucia Porpino, coordenadora do Núcleo de Apoio Técnico-Administrativo (NATA).

“Juntos pela vida”

Para dar continuidade à campanha do “Setembro Amarelo” e fortalecer essa causa serão realizadas intervenções em diversos locais do Estado, com a seguinte programação: em Macapá, dia 12/09 – Escuta Pública, na Praça Floriano Peixoto, com jovens; 21 e 22 de setembro – palestra e roda de conversa em Cutias do Araguari; 24 a 27 de setembro – capacitação dos profissionais da saúde, educação e assistência, no auditório da PGJ, e 28 de setembro haverá no intervenção no Macapá Shopping, com informação e exposições.

Participaram também do evento desta segunda-feira, educadores, profissionais da saúde, técnicos das instituições que integram a rede de atenção à saúde mental e as promotoras de Justiça Gisa Veiga, chefe de Gabinete da PGJ, e Glaucia Porpino, coordenadora do Núcleo de Apoio Técnico-Administrativo (NATA).

Centro de Valorização da Vida

Durante o evento, os coordenadores do CVV informaram que a instituição vai promover mais um curso de capacitação para voluntários. Interessados podem fazer a inscrição pelo email: [email protected] O curso será realizado nos dias 29 e 30 deste mês, em local a ser confirmado.

Serviço:

Ana Girlene Oliveira
Assessoria de comunicação do MP-AP
Contato: (96) 3198-1616

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *