Sobre os Reis Momos do Amapá e a história deste personagem

Amo Carnaval e seus personagens. No caso da quadra carnavalesca amapaense, dois deles são Reis Momos e marcaram a história. Essas duas personalidades importantes do carnaval tucuju, são Raimundo dos Santos Souza, o Sacaca, primeiro monarca da alegria foliã por aqui e o segundo é Raimundo Tavares, o “Sucuriju” que subiu ao trono da alegria quando o primeiro virou saudade.

Sacaca, além do primeiro Rei Momo amapaense, participou da fundação da primeira escola de samba, a Boêmios do Laguinho e, em 1994, foi homenageado pela escola de samba Piratas da Batucada, com o enredo “Festa para um rei negro”. A agremiação foi a campeã neste ano.

Raimundo dos Santos Souza também foi mestre em medicina natural, o “curandeiro”. Tinha duas paixões além de sua família: as plantas e o Carnaval. Ficou famoso por suas garrafadas, remédios caseiros feitos de ervas, e por ser um folião apaixonado, sobretudo pelo bloco “A Banda”. Ele morreu aos 73 anos, em 1999 e deixou um legado inestimável para o Carnaval local, mas vive na memória e coração das pessoas que curou e com quem dividiu os carnavais memoráveis de sua época.

Sucuriju foi eleito, em 2003, o Rei Momo do Amapá, desde então nunca mais deixou o trono. De acordo com informações da jornalista Alcinéa Cavalcante, ele é amante do samba desde os 9 anos, quando participou de um desfile pela primeira vez. Caiu no samba ainda gitinho, foi ritmista de bateria de escola de samba, passista cheio de breque e ginga e um dos melhores mestres-sala do Estado.

Eu e Raimundo Tavares, o “Sucuriju”, nosso Rei Momo., no bloco A Banda – Carnaval 2017

Amo brincar Carnaval e me visto de Rei Momo. Aliás, sou o Rei do bloco “Me imprensa que eu te jogo na rede”. No meu caso, é um auto-barato por conta do porte físico bucho-quebrado, mas respeito e muito os Reis Momos de verdade e o papel deles na história da folia nacional.

Sobre o surgimento do Rei Momo

Na mitologia greco-romana, o Momos era o Filho do Sono e da Noite. Ele ficava o tempo todo prestando atenção nas atitudes dos deuses e dos homens e fazendo graça de tudo. Era considerado o deus da Graciosidade, pois passava o tempo todo rindo e fazendo piadas dos outros. Era representado com uma máscara numa mão e uma figura ridícula na outra, para dar a entender que ele tirava a máscara dos vícios dos homens.

Com o passar do tempo, em Portugal, virou um personagem que tinha o trabalho de divertir os amos e senhores, nos castelos e nas casas dos nobres.

Ele apareceu pela primeira vez como personagem de um carnaval na Colômbia, em 1888. Uma figura alegre, brincalhona e governante da bagunça da festa.

No Brasil, surgiu em 1933, no Rio de Janeiro. Jornalistas que trabalhavam no periódico “A Noite”, inventaram um boneco de papelão e batizaram ele de O Momo.

No ano seguinte, decidiram transportar o personagem do papel para a vida real. O cronista do jornal Moraes Cardoso aceitou o cargo e eles saíram desfilando pelas ruas do Rio de Janeiro, saudando o rei! Ele foi o rei Momo pelos 15 anos seguintes, até morrer.

A tradição se manteve e, até hoje, a figura do Rei Momo é adotada nos carnavais cariocas e de outros estados. É a autoridade maior do evento e recebe até as chaves da cidade para governar durante o período de festas.

Elton Tavares, com informações do blog do Simão e Alcinéa Cavalcante.
Fotos: blog Porta-Retrato; Canto da Amazônia e da Alcinéa Cavalcante.


  • Avatar

    Belo resgate. Sempre bom ter esses registros. Daqui a 50 anos, existe um registro e onde buscar essa história. Mas recentemente na tentativa de descobrir o nome do lendário Bola 7, que era funcionário da Prefeitura de Macapá, serviço de obras, nas décadas de 60 a 80, os amigos que trabalharam com o Bola 7 informaram que ele foi o primeiro Rei Momo, antes do Sacaca. É bom fazer esta pesquisa. Estou apenas relembrando os que viveram a época e revelaram esse detalhe. Uma boa pauta que pode enriquecer ainda mais este belo trabalho. A sua contribuição para a imprensa e para registrar parte da história do Amapá, que poucos conhecem, tem sido de uma grandiosa contribuição. Parabéns..

  • Avatar

    Muito legal…
    O bola7 que interpretava no Cordão do Uirapuru o Mapinguari na Sede dos Escoteiros Veiga Cabral situada no Laguinho, por ocasião das festas Juninas…foi Rei Momo também.
    O Sacaca também, e Sucuriju que menino saia no Carnaval no Bloco Infantil…Caçula do Laguinho, bem menos de 12 anos já mostrava no referido Bloco, capitaneado por Seu Paulino, intimidade com os folguedos das Festas Carnavalescas…ótimo registro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *