Teatro das Bacabeiras completa 30 anos de existência como principal palco cultural do Amapá

Foto: Alex Silveira

O Teatro das Bacabeiras, principal palco da Cultura amapaense, completa 30 anos de fundação nesta segunda-feira (9). Nestas três décadas de existência, a história da casa de espetáculos se confunde com a própria trajetória da arte tucuju e dos artistas locais.

O Teatro das Bacabeiras teve sua construção iniciada em 1984 e concluída em 1990. Em sua inauguração, foi denominado de Cine Teatro de Macapá. Somente em 9 de março de 1992, passou a ser chamado de Teatro das Bacabeiras.

Foto: Alex Silveira

De acordo com o sociólogo, escritor, jornalista e compositor Fernando Canto, a alcunha “Teatro das Bacabeiras”, pelo fato de trazer o nome que supostamente originou a palavra Macapá, foi escolhida democraticamente pelos artistas amapaenses para nomear o principal teatro de Macapá. Portando, a denominação se identifica com a nossa terra.

Localizado no centro de Macapá, na Rua Cândido Mendes e ao lado da Praça Veiga Cabral, o Bacabeiras é o centro das manifestações artísticas e culturais do povo amapaense. O teatro possui singular beleza arquitetônica, com 705 poltronas na plateia, palco, sala de dança, sala de imagem e som, camarins individuais e coletivos, projetor de filmes, tela panorâmica e outros recursos.

Foto: Maksuel Martins

O Teatro das Bacabeiras é vinculado à Coordenadoria de Ação e Difusão Cultural (CADC) da Secretaria de Estado da Cultura (Secult). De acordo com a gerente do patrimônio cultural, Yana Castelo, a casa de espetáculos se mantém por meio por meio das taxas administrativas, que são utilizadas para a manutenção do prédio e para a compra de equipamentos – tudo com o aval da Secult.

Foto: Elton Tavares

A estrutura pessoal do Teatro das Bacabeiras é formada pelo Conselho de pauta, que possui dez conselheiros titulares, dois suplentes e o presidente; quatro técnicos (som, iluminação, técnica em geral); três pessoas na administração, o gerente, oito auxiliares de serviços gerais e dois vigilantes.

Fotos: Maksuel Martins

Os projetos desenvolvidos pelo Teatro como o Escadaria e o Desconcerto acontecem uma vez ao mês. Este ano, porém, ainda não os realizamos em função da indefinição da data para o fechamento do Teatro. O Bacabeiras recebe inúmeros eventos, tanto culturais como cívicos e institucionais. Ano passado o nosso público girou em torno de 85 mil pessoas. Estamos na iminência de recebermos recursos para sua melhoria. Estas benfeitorias deverão acontecer em breve. Talvez, até o final desse primeiro semestre”, frisou a gerente do Bacabeiras.

Foto encontrada no blog do jornalista João Silva.

Além de ser o centro cultural da capital amapaense, o Teatro também foi usado, ao longo dos anos, em diversas solenidades institucionais e privadas, como formaturas de várias faculdades, posses, entre outros eventos.

Segundo o titular da Secult, Evandro Milhomen, o Teatro das Bacabeiras passará por reformas interna e externa de modernização para tornar-se um marco visual da arte amapaense, bem no Centro de Macapá. A reforma contará com recursos provenientes do mandato do presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre, na ordem de R$ 2,3 milhões, além da contrapartida do Estado.

Foto: Fabiana Figueiredo

Sabemos da importância história do Teatro das Bacabeiras para a cultura amapaense. A modernização do Teatro prevê poltronas novas, iluminação cênica , sistema de refrigeração novo, cortinas , banheiros e camarim com acessibilidade , e no hall um café. Com isso, promoveremos geração de emprego e renda com as obras, e, também, depois que o espaço estiver concluído, porque a cultura gera emprego para o artista”,  pontuou o titular da Secult, Evandro Milhomem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *