Teorias, teorias… – Crônica de Ronaldo Rodrigues

Crônica de Ronaldo Rodrigues

Outro dia, pelas ondas desta onda chamada internet, encontrei um velho amigo (velho mesmo, já que o tempo está correndo mais que o Bolt, tanto para o amigo quanto para mim). Falamos sobre os desastres do momento: pandemia, nuvem de gafanhotos, gestão escrota. Aí ele me falou de mais uma teoria, das tantas que coleciona, e me saiu com esta:
– Os vírus existentes no mundo e todas as bactérias e fungos e tantos seres invisíveis são os legítimos habitantes deste planeta! Tô te dizendo!

– Sério? – respondi, sem muito o que dizer.

– Seríssimo! Veja bem: os vírus malignos mesmo, os que perpetram as maiores atrocidades, somos nós, os seres humanos! É o ser humano que toca fogo na mata, que joga lixo nos rios, que torna insuportável a vida na Terra. Aí, a natureza, que sabe muito bem o que faz, tem seus momentos de reação. E quando a natureza reage, mano, não tem ser humano que segure! E sabe como ela reage? Através de vírus, de praga de gafanhoto, de ciclone, de tsunami, de erupção vulcânica. É isso!

Pensei um pouco e vi que ali tinha um tanto do que acredito. Mas tentei argumentar:
– O problema é que, no meio de tanta gente ruim, morre muita gente legal…

Meu amigo estava com a corda toda:
– Sim, concordo! Mas olha só: os maus morrem por serem maus e os bons morrem por não conseguirem deter os maus! Não evitam, e aqui eu coloco eu e tu, que o planeta seja maltratado, não impedem a degradação da Terra!

A conversa me interessava, mas já estava me levando para uma certa deprê. Aí eu tentei fugir do assunto, porque, nestes tempos de pandemia, dar terreno para a depressão, definitivamente, é um péssimo negócio.

Nos despedimos e prometemos nos encontrar quando tudo passar:
– Por falar em quando tudo passar – disse meu amigo –, já viste essa galera que não sai da rua? Tem uma porção de gente saindo de casa sem necessidade alguma! E fazendo churrasco, tomando cerveja, se aglomerando, sem máscara, cuspindo perdigoto pra todo lado! Por que esse pessoal não faz que nem o Elton, que toma a cervejinha dele na casa dele, sem incomodar ninguém? Eu fico é mordido logo! Se essa galera, que é o verdadeiro vírus, ficar zanzando por aí, sem nada de importante pra fazer na rua, essa pandemia não vai passar nunca!

Antes que meu amigo desenrolasse mais uma teoria, e como eu estava propenso a concordar com ele (é um perigo: toda vez que concordo muito com ele, acabamos brigando rsrsrsrs), me despedi, alegando que estava na hora de assistir a alguma live.

Agora estou aqui, pensando que a teoria do meu amigo talvez não seja tão absurda: e se formos mesmo o vírus maligno deste planeta?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *