Termo de Cooperação garante incentivos a empresas contratadas pelo Município

Foi assinado um Termo de Cooperação Técnica entre Prefeitura de Macapá e Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob/AP), na segunda-feira, 3. O pacto tem como base a avaliação pelo Sicoob em antecipar os créditos das empresas que contrataram obras e serviços com o Município de Macapá, dentro das normas estabelecidas pelo Banco Central do Brasil (Bacen) para a realização de empréstimos bancários.

De acordo com o secretário de Finanças, Jesus Vidal, a assinatura é um marco para a prefeitura. “A partir deste termo, estreitaremos relações para que essa assinatura resulte em bons frutos para as duas partes. É o início de uma nova era para as empresas contratadas pelo Município”, disse. Segundo o superintendente do Sicoob/AP, Alcino Pereira, trabalhar com o ente municipal é marcante para o cooperativismo. “Até o ano passado, as cooperativas de crédito não podiam ter como cooperados entes municipais e estaduais, e esse momento é o primeiro de muitos que essa parceria ainda terá”, destacou.

O presente instrumento tem por finalidade estabelecer entre as partes condições de cooperação técnica, visando a concessão de empréstimos pelo Sicoob às empresas contratadas pelo Município para a realização de obras com recursos municipais, com troca de informações entre as partes sobre as empresas contratadas para a realização de serviços com recursos municipais. “Com a nova lei, que possibilita as cooperativas de crédito a trabalhar com o poder público, fará com que a população perceba que a cooperativa de crédito faz a diferença, onde a sua principal missão é promover o desenvolvimento sustentável das comunidades, mas, para isso, precisamos de parcerias como essa”, enfatizou o diretor presidente do Sicoob Nacional, Marino Delgado.

Após assinar o Termo de Cooperação, o prefeito Clécio Luís falou da importância do ato para a economia local, mas principalmente para gerar um sentimento de que é possível ajudar as empresas e fazer tudo dentro da lei. “Podemos utilizar o orçamento público dentro da legalidade, estimulando a economia e, ao mesmo tempo, conseguindo resolver um problema que tínhamos. O fato é que as empresas no Brasil como um todo estão descapitalizadas. A construção civil foi um dos setores que mais sofreram com a crise. O Município está com um volume de obras na rua e um dos problemas encontrados é a falta de capital de giro. Isso acaba atrasando muito a velocidade do andamento das obras. Com a assinatura desse termo, conseguiremos resolver esse entrave”, explicou.

Também participaram da solenidade o presidente do Conselho de Administração do Sicoob/AP, Ladislau Monte, empresários e secretários municipais.

Adryany Magalhães
Assessora de comunicação/PMM
Fotos: Max Renê

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *