Tradições de origem afro serão destaque na Semana da Consciência Negra

Foto: André Rodrigues

Por Gabriel Dias

Este ano, o Amapá vai celebrar o Dia Nacional e Estadual da Consciência Negra, comemorado em 20 de novembro, com uma programação repleta de atrações afro culturais. Para isto, a Secretaria Extraordinária de Políticas para os Afrodescendentes (Seafro) firmou parcerias com movimentos e comunidades negras do Estado.

Além de seminários focados no respeito à diversidade, a programação também inclui o tradicional Encontro dos Tambores e a Caminhada Zumbi dos Palmares, entre outros eventos. As ações acontecem entre 19 e 23 de novembro.

De acordo com o titular da Seafro, Aluísio de Carvalho, o Governo do Estado vai fomentar diretamente as manifestações promovidas por movimentos e comunidades negras do Amapá, com intuito de preservar tradições culturais de origem afro. “O Estado vai garantir o apoio para que a sociedade civil organizada possa se manifestar, através de seminários, rodas de marabaixo, caminhadas e shows”, destacou.

De acordo com ele, toda a programação foi montada junto com os movimentos e comunidade negras. “Queremos que todos tenham o mesmo valor e visibilidade, pois cada movimento e comunidade faz parte das nossas tradições”, ressaltou.

Encontro dos Tambores

O Governo do Amapá vai apoiar do Encontro dos Tambores, realizado pela União dos Negros do Amapá (UNA). A ação iniciará no dia 20 de novembro no Centro de Cultura Negra, localizado no bairro Laguinho, e visa homenagear a cultura e história da população afrodescendente do Amapá, estado que possui 258 comunidades quilombolas.

Caminhada Zumbi de Palmares

Em parceria com o Instituto Mocambo, o Estado vai promover a Caminhada Zumbi dos Palmares. O evento inicia às 16h do dia 20 de novembro, com concentração na praça Barão do Rio Branco, no Centro de Macapá. O tema deste ano é “Resistir é a arte mais profunda do meu povo!”.

Seminário

No dia 23 de novembro, a Seafro realizará, no Museu Sacaca, o seminário O Negro no Processo de Industrialização do Amapá. O encontro vai reunir produtores, jovens e mulheres para discutir o protagonismo do afrodescendente no desenvolvimento do setor industrial e econômico do Estado. “O negro precisa assumir um papel de protagonista nesse processo que já está em andamento no Amapá, ou ficará para trás”, explicou o secretário.

Assessoria de comunicação do Governo do Amapá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *