Três Poemas Profundamente Curtos de Luiz Jorge Ferreira

Sobre o partir

Eu já parti muitas vezes,
Parti de Macapá, sem trem, e sem asas.
A boca cheia de farinha d’água…( para malinar com a fome…)
Parti tanto, tonto, ontem…
Hoje talvez, chegar, nem saiba mais…

Foto: Manoel Raimundo Fonseca

Sobre o Amapá

Tenho um paneiro perdendo estrelas pelas bordas…arrasto-o pelas Praias da Fazendinha, deixando um rastro que o Rio lambe.
Tenho um cheiro e uma pele sem cor, que eu cicatrizo no retrato de uma Kodak.
Chove saudade entre Quartos Crescentes e Luas Novas.

Foto: Cinema Infância anos 60

Sobre a Infância

Passeio era ir ao Mercado de Peixes, ver os Urubus apaixonados, pelo pitiú.
Ver o vento moleque sacudir suas caudas.
Molecagem era estilingar nos cães, um Cometa.
Emoção era furtar um doce por conta do açoite do dia anterior.
Domingo na estreia de um filme proibido, queria ser adulto.
Segunda-feira com a bola de meia, queria ser menino.
Felicidade era ir ao Mercado ver os Urubus, dançando sob os cutucões do vento que entravam Mercado
adentro para fechar os olhos dos peixes congelados.

Luiz Jorge Ferreira
*Do Livro Beco das Araras – Editora Scortecci – 1990 – São Paulo.

  • Avatar

    SOBRE TUDO(!) e SOBRETUDO,,LUIZ JORGE É O MAIOR E O MELHOR POETA QYE CONHEÇO: meu colega, meu confrade … MEU AMIGO!!!!!!💞💞💞💞💞

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *