Turmas das décadas de 80/90 do Colégio Amapaense celebram amizade em uma noite incrível

Ontem (30), fui a uma festa realizada nos fundos da academia de judô do mestre Saulo, velho amigo da época do Colégio Amapaense, o saudoso “C.A.”. Só que não foi um festejo comum. Longe disso. A noite foi marcada por um grande reencontro de velhos amigos do C.A. Tudo muito bem organizado e porreta, pois quase todas as “peças raras” estavam lá. Foi muito paid’égua encontrar com aqueles caras.

Só quem viveu ou sacava a gente sabe do quanto aprontamos na época do Colégio. Juntos, bebemos cervejas e outras biritas para, no mínimo, umas quatro encarnações. Se fosse para brigar, mesmo se soubéssemos que íamos apanhar, entrávamos pra cair batendo. Foram incontáveis situações irresponsáveis, curtição da vida e ajuda mútua, que ia desde a coleta para o goró a chegar numa menina.

Nós éramos descomprometidos, subvertemos regras, a feliz juventude irresponsável. Mas a maioria se deu bem, trabalha e tem família. Essa rapaziada topava qualquer parada. Volto a usar as palavras do grande Fernando Canto: “De um tempo que fomos para sermos o que somos”.

A ideia da festa surgiu em um grupo de whatsapp formado há pouco tempo, onde dezenas de “sobreviventes” dos anos 80 e 90 trocam mensagens, brincadeiras e tiradas de barato durante todos os dias. Afinal, novamente como diz o meu amigo Fernando Canto : “Lembrar também é celebrar. E quando se celebra se rememora“.

Na música “Teatro dos Vampiros”, da banda Legião Urbana, tem um trecho que diz: “esperamos que um dia nossas vidas possam se encontrar”. E depois de décadas, nos reencontramos. Firmão!

Falando em som, o velho brother Rico mandou muito bem na discotecagem, com músicas da época que éramos jovens. E o Ewerton, outro amigo dos tempos do C.A. arrebentou com sua banda, a “Além do Rádio”, com um repertório repleto de canções que marcaram a trajetória de cada um ali. Ah, churrasco e gelada no bandão, graças à perfeita organização. Foi sensacional!

No Colégio Amapaense fiz amigos que me acompanham até hoje e vivi aventuras inesquecíveis. Estes dias felizes foram lembrados e revividos ontem. A festa cumpriu com o que prometeu. Quem não foi, perdeu. Meus parabéns aos amigos Maurício, Gil, Saulo e André por realizar o encontro. Foi paid’égua demais, realmente uma noite incrível de som, amigos e diversão!!

Assistam o vídeo do encontro. Edição de Dênis Rainer. 

Viva a gente. C.A. sempre!

Elton Tavares

  • Avatar

    Égua bicho. Eu só não chorei porque eu sou homem! Foi realmente uma noite dukaralho! Bom que nos reencontramos! Vida longa aos tempos áureos!

  • Avatar

    Que seja a primeira de muitas.
    Pois tive muita satisfação em participa desse evento que que venha outros .
    CA pra senpre !!!!!

  • Avatar

    Olá, estudei no CA de fevereiro de 1985 a dezembro de 1991. Da 5a série ao 3o ano do 2o grau. Fiz Ciências Exatas e fiz muitos amigos e conheci muita gente nesse período. Será possível colocar os nomes da galera que estava neste encontro? Meu nome é Marcio Robson Santos da Silva.
    Muito obrigado e um forte abraço.

    • Elton Tavares

      Mestre, estavam: Edmar Campos, Topo Giggio, Maurição, Gato e Saullo (irmãos), Márcio Penafort, Amaro (cheira paca), Giuliano Picanço, Boca, Bolota, Sandro Jabuti, Rico, Ewerton, Bacural, Denielson, Celso Tadeu, Dênis, entre outras dezenas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *