Um amanhecer pra cada dia – Pequena crônica de Lorena Queiroz para o ano novo – @LorenaadvLorena

Por Lorena Queiroz

Todos os dias quando o sol nasce algo se renova ou se sepulta em cada vida. A vida dói, não é um jogo pra quem teve medo de merthiolate. Fernando Pessoa fazia seus heterônimos viverem essa vida por ele e, apesar de eu amar o Pessoa, concordo com Suassuna quando diz que essa vida o tinha maltratado, mas assim como ele e apesar dos maus tratos, eu também gosto da danada. O que a gente quer da vida é viver. É sugar da essência dela a música, a poesia, os risos dos momentos.

O que a gente quer é viver um dia interessante e rir em uma noite em que estamos cercados de gente com algo à dar. A gente quer é fazer merda pra usar o Programa de Recuperação de Imagem do Cleomar e, sim, rir de tudo e até da nossa desgraça, sem nunca lamentar.

Desejo que 2021 vá pra puta que pariu e que 2022 venha repleto de esperança pra todos nós, porque ano passado eu morri, mas esse ano eu não morro.

*Lorena Queiroz é advogada, amante de literatura, devoradora compulsiva de livros e crítica literária oficial deste site, além de prima/irmã amada deste editor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.