Um belo exemplo de honestidade: estudante encontra dinheiro dentro da escola e devolve ao dono

No último sábado (11), quando foi comemorado o Dia do Estudante, o adolescente Adison Leandro, 13 anos, deu um belo exemplo de honestidade e cidadania ao devolver uma boa quantia em dinheiro encontrada no chão da Escola Estadual José Pestana, em Santana, onde estuda há um ano. O montante pertencia ao microempresário Raimundo Coutinho da Silva, 65 anos, que fornece lanche para a cantina escolar.

O estudante relembra ter visto quando o dinheiro caiu do bolso de Raimundo e imediatamente pegou a quantia e saiu correndo para devolver. “Meu pai, que é cobrador de ônibus, não vive mais com a minha mãe há dois anos, mas é presente em minha vida e sempre me ensinou que qualquer coisa que eu encontre no chão devo procurar saber quem é o dono para devolver. E foi isso que eu fiz”, explicou Adison Leandro.

Raimundo Coutinho disse ter ficado surpreso com a atitude do estudante. “Estava com cerca de R$ 400,00 e havia muita gente na hora, naquela correria de intervalo, e nem percebi quando caiu do meu bolso. De repente, esse menino bateu no meu braço e me devolveu o dinheiro. Fiquei muito emocionado. É bem difícil esse tipo de atitude. Tinha tanta gente no corredor, que seria fácil se ele quisesse levar o valor com ele”, contou o microempresário.

Adison fez questão de relatar, ainda, a reação de sua mãe quando ele chegou em casa e contou a história. “Ela ficou orgulhosa de mim e eu me senti muito feliz”. O estudante tem dois irmãos mais jovens e juntos vivem sob os cuidados da genitora no bairro Remédio II, zona periférica do município.

Tudo começa com pequenos gestos

Os personagens dessa história reconhecem que agir corretamente, com ética e honestidade é o comportamento desejável a todos em sociedade, mas, o que deveria ser regra, acabou virando uma exceção.

“É tanta corrupção e tanto roubo, que só tenho esperança em Deus para que possa iluminar o coração desses homens. Devia ter mais gente com a consciência desse menino. Acho que a maioria não tem preocupação com o próximo. Foi, sem dúvida, um gesto de grandeza”, acrescentou Raimundo Coutinho.

A coordenadora pedagógica da Escola José Pestana, Maria de Jesus, disse estar orgulhosa do comportamento dos seus alunos. “Para nós é uma emoção muito grande saber que podemos contar com os nossos estudantes. Foi uma atitude nobre e nos sentimos honrados. Estamos mais motivados para darmos continuidade nos projetos desenvolvidos com o Ministério Público”.

Para a professora de educação especial, Lau Pires, é importante destacar o papel da família. “Infelizmente observamos uma desestrutura familiar, mas, ainda assim, muitos pais procuram orientar seus filhos quando estes se deslocam para a escola, para que respeitem os professores e tomem boas atitudes. Por isso, parabenizamos essa família. Isso faz toda a diferença”, pontuou.

MP vai à Escola

O Ministério Público do Amapá é um antigo parceiro da escola. Além do trabalho desenvolvido com o Núcleo de Práticas Restaurativas de Santana, que tem contribuído para melhorar as relações entre alunos, professores e a família, este ano foi lançado (https://goo.gl/py1Qw7) o projeto de prevenção primária à corrupção, o MP vai à Escola. A ação visa estimular uma série de atividades pedagógicas voltados voltadas ao tema , em dez unidades de ensino de Macapá e Santana.

A escola José Pestana tem 1.000 alunos, do ensino fundamental ao médio, incluindo Educação de Jovens e Adultos (EJA). São mais de 100 funcionários, sendo 60 professores. Está localizada em uma área considerada de vulnerabilidade social, em razão da influência do tráfico de drogas na região. A unidade de ensino atende a comunidade de seis bairros carentes e só conseguiu iniciar o ano letivo de 2018 após a intervenção do MP-AP junto ao Executivo.

SERVIÇO:

Ana Girlene
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *